D. GUIOMAR DE VILHENA teve por patria a Cidade de Evora, e por Pays a D. Francisco de Portugal primeiro Conde do Vimioso digno de eterna memoria pelas virtudes, que religiosamente practicou, e a D. Brites de Vilhena sua primeira mulher filha de Ruy Telles de Menezes quinto Senhor de Unhaõ, Mordomo mór da Emperatriz D. Izabel, e de D. Guiomar de Noronha filha de D. Pedro de Noronha Senhor do Cadaval Mordomo mór delRey D. Ioaõ o II. e seu Embaxador a Roma. A hum taõ esclarecido nacimento soube acrecentar novos esplendores esta grande Heroina exercitando-se nos actos de piedade, e devoçaõ com tanto excesso, que podia servir de exemplar aos espiritos mais austeros. Ocupava o tempo na liçaõ dos livros asceticos donde extrahia solidos documentos para direçaõ das suas açoens. Com devota generozidade concorreo no anno de 1545 juntamente com seu espozo D. Francisco da Gama II. Conde da Vidigueira Almirante da India Oriental, e Estribeiro mòr delRey D. Ioaõ o III. filho do insigne Varaõ D. Vasco da Gama I. Conde da Vidigueira, Descobridor da India Oriental, e de sua mulher D. Catharina de Atayde para a Fundaçaõ do Convento de Nossa Senhora da Assumpçaõ da Serafica Provincia da Piedade situado junto da Villa da Vidigueira. Passou a lograr o premio merecido às suas virtudes em Lisboa no anno de 1585. Iaz sepultada no Convento dos Carmelitas calçados da Villa da Vidigueira jazigo da Excellentissima Caza dos Marquezes de Nisa. Compoz.

Consideraçoens pias sobre alguns passos de Nossa Senhora. 12. Sahio impresso conforme escreve Ioaõ Franco Barreto Bib. Portug. M. S. Da obra como de sua Excellentissima Authora faz mençaõ o Padre D. Antonio Caetano de Souza Hist. Gen. da Caz. Real. Tom. 10. liv. 10. cap. 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]