P. GONÇALO RODRIGUES naceo em Calheiros Aldeya da Villa de Ponte de Lima do Arcebispado de Braga onde teve por Pays a Ioaõ de Prol, e Constança de Velas. Penetrado pela sagrada energia dos Sermoens do Apostolico Varaõ o Padre Francisco de Estrada da Companhia de Iesus largou o mundo, e abraçou o instituto desta grande Religiaõ em o Collegio de Coimbra a 23 de Agosto de 1545. Para conquistar almas ao Imperio de Christo partio de Lisboa à India em 10 de Março de 1551. e surgindo em Goa a 10 de Setembro foy destinado para substituir em Ormus ao insigne operario o V. Padre Gaspar Barzeo sendo pela profundidade das letras, e practica das virtudes digno Hercules daquelle Athlante. Dezembarcou nesta Cidade a 8 de Dezembro de 1551. e posto que colheu copioso fruto com o seu apostolico ministerio naõ pode reduzir por mais repetidas deligencias, que aplicou, ao seu Principe, donde voltou para Goa obrigado da falta da saude. Ao tempo, que queria reparar as forças atenuadas pelo seu incansavel zelo o nomeou D. Pedro Mascarenhas Vicerey do Estado juntamente com Diogo Dias, Embaxador ao Emperador da Etiopia para delle saber se estava prompto a receber o Patriarcha, que vinha de Portugal, e partindo de Goa a 7 de Fevereiro de 1555. em trinta dias de feliz navegaçaõ ferrou Arquico dominado neste tempo pelos Abexins, e em 17 de Mayo chegou à prezença do Emperador a quem entregou as cartas delRey de Portugal, e lendoas mostrou no semblante lhe era desagradável a materia, que continhaõ. Conhecendo que o animo deste Principe estava totalmente entregue aos scismaticos erros de Alexandria escreveo hum douto Tratado em que clara, e evidentemente mostrava a verdade da Igreja Romana, e a falsidade da Alexandrina porem foy infructuoso para o Emperador este trabalho. Da Etiopia voltou para Goa onde chegou no mez de Mayo de 1556. em cuja jornada se lhe voltou junto a Zeila já fora da garganta do Estreito, o navio, mas invocando a piedade de Maria Santissima surgio de repente de cujo sucesso como milagroso se pintou hum quadro, que a devaçaõ agradecida pendurou como trofeo em hum Templo dedicado à mesma Senhora. Como naõ podia estar ocioso o seu ardente espirito em beneficio da Christandade partio segunda vez de Goa no anno de 1557. para o Norte cultivar a Vinha de Salsete onde para demonstraçaõ do seu zelo destruio em hum lugar distante pouco menos de huma legoa de Taná hum sumptuoso Pagode dedicado à fabulosa Trindade dos Gentios symbolizada em hum idolo de tres cabeças, e sobre as profanas ruinas edificou hum Templo consagrado a Deos Trino nas Pessoas, e hum na Essencia. Ultimamente para coroa dos seus apostolicos ministerios partio por ordem do Vicerey D. Constantino de Bragança, e o Arcebispo de Goa D. Gaspar de Leaõ ao Idalxá Rey de Balagate no anno de 1560. por ter pedido este Principe Mestres, que disputassem com os seus Cacizes. Chegou a Visapor theatro desta grande controversia onde convencidos com a eficacia dos seus argumentos os mais famozos letrados do Decan julgando por afronta a vitoria apellaraõ cegamente para o juizo das armas com as quais por falta de rezoens concludentes queriaõ sustentar a falsidade da sua crença. O Rey ainda que persistio na sua cegueira ornou ao ministro Evangelico em aplauzo do triunfo com huma precioza Cabaya. Restituido a Goa por ordem dos superiores mais cheyo de merecimentos, que de annos partio em o Collegio de S. Paulo a 4 de Março de 1564 a lograr o premio dos seus suores com tanto jubilo do seu espirito, como saudade dos circunstantes. Delle fazem honorifica mençaõ Iorge Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 2. pag. 36. naõ menos docto em letras humanas, e divinas, que asinalado em religiosos costumes, e cristaõs procedimentos. Telles Chron. da Comp. de Iesus em Portug. Part. 1. liv. 3. cap. 28. §. 4. naõ menos douto em letras, que assinalado em virtudes, e Part. 2. liv. 6. cap. 8. §. 2. muy visto nas letras divinas, e muy noticioso dos Concilios, e Controversas da Fé, e na Hist. da Etiop. Alt. liv. 2. cap. 23. Varaõ de raro exemplo, e muitas letras. Fr. Ant. de S. Roman Hist. de la Ind. Orient. liv. 4. cap. 26. Persona muy docta, y religiosa. Gusman Hist. de las Mision. de la Com. de Jesus Part. 1. liv. 3. cap. 17. de muchas letras, y de grande religion. Godinho de Abyssin rebus lib. 2. cap. 18. probus, prudens, doctus que sacerdos. Guerreiro Relac. Annal de Orient. do anno de 1608. fol. 280. v.º muy docto, e prudente, de muita virtude. Andrad. Chron. delRey D. Ioaõ o 3. Part. 4. cap. 113. Varaõ douto, e de vida exemplar. Faria Asia Portug. Tom. 2. part. 2. cap. 11. n. 8. Souza Orient. Conquist. Part. 1. Conq. 5. Divis. 1. §. 40. homem de grandes prendas, em virtude, e saber. e Part. 2. Conquist. 1. Divis. 1. §. 4. hum dos mais insignes Missionarios que do Collegio de Coimbra passaraõ a estas Conquistas. Franco Imag. da Virtud. em o Nov. de Coimb. Tom. 1. liv. 3. cap. 34. com sua pregaçaõ deu grande luz às naçoens Orientaes. Compoz.

Tratado em que mostrava pela decisaõ dos Concilios, e authoridade dos Santos Padres a Primazia da Igreja Romana contra os erros scismaticos dos Abexins. Goa 1560. 4. Esta obra composta em Portuguez, e Vertida em lingua Caldea aprezentou seu author ao Emperador da Etiopia para que convencido com a evidencia da verdade rendesse obediencia ao Pontifice Romano, e abjurasse os erros que professava. Desta obra se lembra Bib. Societ. p. 303. col. 2. Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 1. pag. 427. col. 2. Franco Imag. da Virtud. do Nov. de Coimb. Tom. 2. pag. 618. e o moderno addicionador da Bib. Orient de Ant. de Leaõ Tom. 1. Tit. 12. col. 395. e todos que fallaraõ do Padre Gonçalo Rodrigues.

Carta escrita de Ormus a 31 de Agosto de 1552. aos Padres do Collegio de Coimbra. Sahio impressa na Imag. da Virtude do Nov. de Coimb. Tom. 1. liv. 3. cap. 34.

Carta escrita a 12 de Março de 1555. ao P. Balthezar Dias Reytor do Collegio de Goa que contem a jornada desta Cidade até a Etiopia. Sahio impressa na Imag. da Virtud. assima allegada cap. 35. Traduzida em Italiano com outras. Venetia por Michele Tramezzino. 1559. 8.

Carta escrita da Etiopia a 13. de Setembro de 1556. aos Padres da Companhia de Portugal em que relata tudo quanto lhe sucedeo neste Imperio. Sahio impressa na Adiçaõ à Relac. da Etiop. do P. Fernaõ Guerreiro fol. 281. v.° e na Hist. da Etiop. Alt. do P. Telles liv. 2. cap. 23. e 24 e na Imag. da Virtud. Assima allegada Tom. 1. liv. 3. cap. 36. e 37. e vertida em Latim pelo P. Nicolao Godinho de Abyssin. rebus lib. 2. cap. 18. a qual traz emendada em muitas partes Iobo Ludolpho Comment. ad Hist. Aetiopic. pag. 474. & sequent.

Carta escrita de Baçaim aos Padres da Companhia em o anno de 1557. Em que descreve os progressos da Christandade de Tanà. Parte della imprimio o P. Franco Imag. da Virtud. cap. 38.

Carta escrita de Baçaim a 5 de Setembro de 1558. aos Padres da Companhia de Goa. M. S. Conservase no Archivo da Caza professa de Lisboa.

Carta escrita de Tanà no 1. de Dezembro de 1560. aos Padres da Companhia de Goa. M. S. No mesmo Archivo. Sahio vertida em Italiano com outras Venetia per Michele Tramezzino. 1562. 8.

Carta escrita de Balagate Corte do Idalcaõ a 25. de Março de 1561.

Ao Provincial de Goa. M. S. No dito Archivo.

Carta escrita de Visapor ao mesmo Provincial a 7 de Abril. de 1561. M. S. No dito Archivo. Sahio vertida em Italiano com outras. Venetia per Michele Tramezzino. 1565. 8.

Carta escrita de Cochim ao Padre Miguel de Torres em Ianeiro de 1562. M. S. No dito Archivo.

Carta escrita de Malaca aos Padres da Provincia de Portugal em 1562. M. S No dito Archivo.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]