GASPAR DOS REYS FRANCO natural da Cidade de Evora, e descendente de Pays nobres, sendo Primo de Francisco Lopes Franco Senhor de Contich, e Helmont em Flandes natural de Lisboa o qual fallecendo em Antuerpia a 13 de Fevereiro de 1660. jaz sepultado com sua mulher D. Mariana Franco em hum sumptuoso Mausoleo, que mandou edificar na Capella erigida no Convento dos Franciscanos à Virgem Santissima, e ao Patriarcha Serafico. Aprendeo as primeiras letras, e Filosofia na Universidade de Evora conferindo-lhe o grao de Mestre em Artes o insigne P. Francisco de Mendonça immortal credito da Companhia de JESUS, como o mesmo Gaspar dos Reys escreve com agradecida memoria no seu Campus Elysius Quaest. 37. n. 48. Instruido egregiamente nos primores da lingua Latina, vasto conhecimento da Filologia, e nas dificuldades da Filosofia Peripatetica passou a estudar em a Universidade de Salamanca a Faculdade de Medicina tendo por Mestre ao Doutor Gaspar Fernandes Cathedratico de Prima como elle escreve na obra assima allegada Quaest:. 70. n. 15. e fez taõ monstruosos progressos a viveza do seu engenho, e comprehensaõ do seu juizo, que mereceo as aclamaçoens de todos os professores das sciencias, que ennobreciaõ aquella florentissima Universidade. Por muitos annos assistio em a Cidade de Carmona da Provincia de Andaluzia exercitando com igual felicidade, que sciencia a Arte da Medicina cujo methodo era invejado pelos principaes Corifeos desta Faculdade por naõ haver infermidade perniciosa, ou inveterada, que naõ cedesse à eficacia dos seus remedios. Teve hum filho chamado Luiz Franco, que foy seu emulo na Arte Medica de que deu claros argumentos em a Cidade de Sevilha, e huma filha Religiosa no Convento de Santa Clara de Beja. Foy ornado de vasta erudiçaõ assim dos authores sagrados, como profanos, e naõ menos intelligente nos mysterios da Escritura Sagrada, e intrepretaçoens dos Canones Pontificios, e Leys Imperiaes, como manifesta a obra seguinte.

Elysius jucundarum quaestionum Campus omnium litterarum amaenissima varietate refertus Medicis imprimis tamquam luxuriantis naturae spectatissimi flores erupant, & admiranda illius opera contemplentur, maxime delectabilis. Theologis deinde, Jurisperitis, & omnium denique bonarum disciplinarum Studiosis, Philosophis, Philiatris, Philologis, Philomusis summe utilis, ac ab omnibus expetitus. Bruxellae apud Franciscum Vivien. 1661. fol. & Francofurti apud Joannem Beyerum 1670. 4. & Antuerpiae apud Hyeronimum Verdussen 1667. fol.

Heraclidis Antrum

Nicomedes.

Destas duas obras faz elle mençaõ na Obra precedente; da primeira em a Quaest. 100. n. 24. e da segunda em a Quaest. 28. n. 11. Antonio de Souza de Macedo Eva, e Ave Part. 1. cap. 18. n. 4. e cap. 48. n. 12. o intitula eruditissimo o Padre Franc. da Fonceca Evor. Glorios. p. 412. insigne Medico, e Humanista, e Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 1. pag. 406. col. 2. eruditione plenum multáque varium doctrina.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]