ANTONIO DA CRUZ, insigne Cirurgião de seu tempo, e Mestre no Hospital Real de todos os Sanctos. Foi natural de Lisboa, e floreceu pelos fins do seculo XVI e principios do seguinte. – E. para servir de compendio aos seus discipulos:

579) (C) Recopilação de Çurgia dividida em cinco tractados. O 1.º da anatomia de todos os membros do corpo humano simples e compostos. 2.º de aposthemas. 3.º de feridas. 4.º de chagas. 5.º da natureza dos simples. Lisboa, por Jorge Rodrigues 1601.4.º – Segunda impressão novamente accrescentada e emendada. Ibi, por Antonio Alvares 1605. 4.º – Ibi, por Mattheus Pinheiro 1630. 4.º – Novamente accrescentada por Francisco Soares Feio e Amaro da Fonseca ibi, por Manuel Gomes de Carvalho 1649. 4.º – Novamente accrescentada pelo dito Francisco Soares Feio e Antonio Gonçalves, ibi, por Antonio Craesbeeck de Mello 1669. 4.º – Ibi, por Miguel Deslandes 1688. 4.º – Ibi, por Bernardo da Costa de Carvalho 1715. 4.º de IV‑359 pag., afora as do indice no fim. (Esta é a edição de que uso.)

Posto que a segunda edição seja a preferida no Catalogo da Academia, ha todavia demais na de 1601 dous sonetos anonymos, que n’aquella e nas seguintes se omittiram, nos quaes com elegancia se elogia o merecimento da obra, e se louva o seu auctor.

Na opinião de avaliadores competentes, é esta obra clara, e methodica; e no tempo em que foi escripta satisfazia assás ao fim que seu auctor se propunha. Hoje é ainda considerada classica no que diz respeito aos termos facultativos da sciencia. Bibliographicamente tem pouco valor, e só se estimam os exemplares da primeira e segunda edição pela sua raridade.

 

[Diccionario bibliographico portuguez, tomo 1]