P. ANTONIO CARVALHO DA COSTA, Presbytero secular, natural de Lisboa onde nasceu a 20 de Abril de 1650, e morreu a 27 de Novembro de 1715. Não devendo muito á natureza pelo que diz respeito aos dotes physicos, pois todos os seus biographos nol‑o pintam de pequena estatura, corcovado, e disforme, foi comtudo ornado de muito talento, e amor ao estudo, adquirindo copioso cabedal d’instrucção e conhecimentos nas sciencias mathematicas que professou, e na historia e topographia do reino, do que dão testemunho as suas obras. – E.

512) (C) Corographia Portugueza e descripção topographica do famoso reino de Portugal, com as noticias das fundações das cidades, villas e logares que contêm; varões illustres; genealogia das familias nobres, fundações de conventos; catalogos dos bispos; antiguidades; maravilhas da natureza, edificios e outras curiosas observacões. Tomo I offerecido a Elrei D. Pedro II. Lisboa, por Valentim da Costa Deslandes 1706. fol. de XVI‑534 pag. – Tomo II oferecido a Elrei D. João V. Ibi, pelo mesmo 1708. fol. de VIII‑642 pag. – Tomo III oferecido á Senhora D. Maria Anna de Austria Rainha de Portugal. Lisboa, na Off. Deslandesiana 1712. fol. de XV1‑671 pag.

Fr. Manuel de Figueiredo, na sua alias resumida e acanhadissima Descripção de Portugal a pag. XVII, falando da Corographia e do P. Carvalho diz que este «Emprehendendo na composição d’esta obra uma acção merecedora de muito louvor, seria mais estimavel o seu projecto, se tivesse talentos e meios para desempenhal‑a sem mendigar e crer muito do que mandou estampar.. Este juizo do chronista cisterciense ha sido confirmado por outros criticos, e ninguem hoje duvida de que a Corographia do P. Carvalho envolva gravissimos defeitos. Notam‑se‑lhe principalmente faltas e erros na parte genealogica, em que parece terem sido mui escassos os seus conhecimentos, recebendo por isso sem criterio as noticias que os interessados lhe forneciam, abusando da sua sinceridade, ou talvez da condescendencia a que o obrigava a mingoa de recursos proprios. Os catalogos dos bispos das cathedraes do reino passam tambem por pouco exactos: e no tocante á origem e fundações das cidades e villas adopta sem critica nem exame as opiniões de Fr. Bernardo de Brito, e dos outros escriptores do mesmo jaez que em seu tempo andavam em voga, e cujos sonhos corriam ainda como verdades indubitaveis.

Taes defeitos todavia não obstam a que esta obra seja estimada e procurada dentro e fora do reino, e os exemplares vão escaceando cada vez mais no mercado, de modo que ao fim de alguns annos terão de tornar‑se verdadeiramente raros. O seu preço actual é de 14:400 a 16:000 réis, quando bem tractados; mas ha exemplos de vendas feitas por 18:000 réis, e ainda por mais.

513) (C) Compendio geographico, dividido em tres tractados, 1.º da projeccão das espheras em plano, construcção de mappas, e fabrica das cartas hydrographicas, 2.º da hydrographia dos mares, 3.º da descripção geographica das terras… Lisboa, por João Galrão 1686. 4.º de XIV‑150 pag. – Preço 320 a 400 réis.

514) (C) Via astronomica: Primeira parte dividida em dous tractados: 1.º contêm a fabrica do globo, e seus principaes usos; 2.º a Trigonometria plana e espherica, e varios problemas d’Astronomia. Lisboa, por Francisco Villela 1676. 4.º de XlV‑148 pag. – Parte segunda, distribuida em quatro tractados: 1.º da Navegação: 2.º das Estrellas: 3.º dos Eclypses da lua: e 4.º dos Eclypses do Sol. ibi, por Antonio Craesbeeck de Mello 1677. 4.º – Não é facil deparar com os dous volumes reunidos. Quando apparacem em bom estado de conservação, têem corrido por 720 até 960 réis.

515) (C) Astronomia Methodica distribuida em tres tractados: o 1º tracta do Sol: o 2º da Lua: o 3.º dos mais Planetas. Lisboa, por Francisco Villela 1683. 4.º de XVI‑173 pag. – O exemplar que possuo tem adjuntas umas taboas dos movimentos e distancias heliocentricas dos planetas, occupando 36 pag. não numeradas, as quaes faltam em outros exemplares que tenho visto. – Preço de 600 a 800 réis.

Barbosa attribue‑lhe ainda a composição de Prognosticos, que diz se publicaram com outro nome desde 1684 até 1701, em 8.º D’elles não vi algum até agora, nem sei mais que esta noticia. As obras astronomicas de Carvalho são pouco vulgares. A proposito do seu merito, diz Stockler que ninguem póde roubar ao auctor d’ellas a gloria de ter sido o primeiro que entre nós escreveu sobre a sciencia debaixo de um ponto de vista assás amplo para poupar‑nos ao desar de não termos em nossa lingua um só livro, que abrangesse por inteiro a parte elementar da mesma sciencia.

 

[Diccionario bibliographico portuguez, tomo 1]