FULGENCIO FREYRE cuja patria, e Pays se ignoraõ Sendo Feitor de Baçaim que com igual zelo, que interesse administrara, abraçou o instituto da Companhia de JESUS no estado de Coadjutor Temporal do qual nunca quiz ainda instado pelos Superiores, subir ao Sacerdocio. Foy destinado por companheiro do Padre Gonçalo Rodrigues no anno de 1555. quando partio com o nosso Embaxador Diogo Dias mandado pelo Vicerey Pedro Mascarenhas ao Imperio da Etiopia onde com summo disvelo encheo as obrigaçoens de Operario Evangelico. Restituido a Goa voltou no anno de 1560. para Etiopia em cuja viagem encontrando quatro Gales de Turcos que capitaneava o Pirata Cafar, depois de receber outo feridas foy levado ao Cayro com outros Portuguezes onde remava no banco, e servia na Ribeira de Moca. Neste miseravel estado o acharaõ os Padres Gonçalo Rodrigues, e Ioaõ Baptista Eliano quando entraraõ no Imperio da Etiopia no anno de 1562. com a incumbencia cometida pela Santidade de Pio IV. de unir a Igreja Alexandrina com a Romana, e posto que cortado de tantas tribulaçoens tinha taõ vigoroso o espirito, que confirmava na Fé aos seus companheiros, e reduzia a muitos infieis ao suave jugo do Evangelho. Resgatado com outo Christaos por mil, e quinhentos cruzados que dera o nosso Embaxador residente em Roma partio por terra até esta Santa Cidade donde chegou a Lisboa no fatal anno de 1569. em que ardia fulminada de hum pestifero contagio assistindo aos feridos com taõ ardente charidade, que antepunha a saude alhea à propria vida. Esquecido de tantos trabalhos tolerados em obzequio da Fé, e ambicioso de outros mayores se embarcou outra vez para a India no anno de 1571. e querendo Deos remunerarlhe quanto tinha padecido pela exaltaçaõ do seu nome permitio que naufragasse a náo em que hia embarcado donde voou o seu espirito ao porto da Bemaventurança. Delle fazem illustre memoria Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 2. pag. 686. Hist. Societ. Part. 2. lib. 4. n. 320. e lib. 6. n 140. e Part. 3. lib. 7. n. 165. Guerreiro Adiçaõ á Relac. da Etiopia dos ann. de 1607 e 1608. Cap. 1. Godinho de reb. Abyssin. lib. 1. cap. 27. e lib. 2. cap. 18. Telles Chron. da Comp. de Jesus da Prov. de Portug. Part. 2. liv. 6. cap. 8. n. 2. e na Hist. da Etiop. Alt. liv. 2. cap. 23. e cap. 32. Jarricus Thesaur. rer. Ind. Tom. 2. cap. 17. Costa Hist. de reb. in Orient. gestis á S. I. pag. 31. Souza Orient. Conq. Tom. 1. conq. 5. Divis. 2. §. 65. Faria Azia Portug. Tom. 2. Part. 2. cap. 15. n. 8. e 9. Couto De cad. da Ind. 7. liv. 8. cap. 8. Franco Imag. da virtud. em o Nov. de Coimbra. Tom. 1. liv. 3. cap. 35. n. 2. Barboza Mem. Hist. delRey D. Sebast. Part. 2. liv. 1. cap. 16. §. 122. Escreveo.

Carta escrita de Moca a 12. de Agosto de 1560. ao Patriarcha D. Joaõ Nunes Barreto em que lhe relata a sua chegada, e as tribulaçoens que padecia no Cativeiro. Sahio impressa com outras Venetia por Tramezzino. 1662. 8.

Carta escrita do Graõ Cayro a 5. de Outubro de 1562. ao Geral Diogo Laynes em que refere as miserias do Cativeiro. Conservava esta carta em seu poder o Padre Balthesar Telles como escreve na Hist. da Etiop. Alta. liv. 2. cap. 32.

Carta escrita ao Geral no fim de Novembro de 1569. Outra escrita do Cayro ao mesmo P. Geral a 23. de Fevereiro de 1564. Outras duas escritas do Cayro ao Provincial da India em Abril de 1562. e em 30. de Mayo de 1562. Todas estas se conservaõ no archivo da Caza professa de S. Roque desta Corte.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]