FRANCISCO GIRALDES natural de Lisboa onde depois de sahir profundamente perito na intelligencia da lingua Latina, e preceitos da Poetica para que tinha particular genio preferindo a escola de Marte à de Minerva assentou praça de Soldado para dar claros testemunhos do seu valor no Oriente, que foy o theatro das suas heroicas façanhas pelo largo espaço de vinte e cinco annos distinguindo-se o seu militar esforço em o combate naval, que a nossa Armada capitaneada por Antonio de Figueiredo Utra, teve a 25. de Agosto de 1719. em o Estreito da Persia com a dos Arabios onde foraõ inteiramente derrotados. Naõ satisfeito de que a sua espada fosse glorioso instrumento de taõ celebrada vitoria aparou a penna para a descrever em 928. Versos heroicos Latinos, cujo Poema dedicou a D. Luiz de Menezes V. Conde da Ericeira, que neste tempo era Vicerey do Estado, e segunda vez o governou augmentado com o titulo de Marquez do Louriçal. Sahio impresso o Poema em Pariz sem anno da ediçaõ com este titulo.

Eventus Lusitanae classis quae è Goa ad Persiam profecta est 8. Começa

Inclyta Lusiadum classis mitenda paratur

Ormuci in portum in Persae admirabile regnum.

Falleceo na Cidade de Baçaim no anno de 1729. quando exercitava o posto de Alferes. Delle, e da obra faz mençaõ o Padre D. Antonio Caetano de Souza Hist. Geneal. da Caz. Real Portug. Tom. 5. liv. 6. pag. 379.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]