IOAÕ RIBEYRO DA FONCECA natural da Torre de Moncorvo em a Provincia Transmontana filho de Francisco de Moraes Mesquita, e Maria de Castro Osorio ambos descendentes de familias nobres. Depois de estar instruido nas letras humanas, e laureado Mestre em Artes cultivou a Iurisprudencia Cesarea em a Universidade de Coimbra onde recebidas as insignias doutoraes nesta Faculdade naõ somente mereceo pela sua literatura ser admetido a Collegial do Collegio Real de S. Paulo em o anno de 1688. mas illustrar com o seu magisterio as Cadeiras daquella celebre Academia sendo Lente de Instituta no anno de 1690. do Codigo em 1695. dos tres livros em 1698. de Vespera em 1704. e de Prima em 1706. Em que foy reconduzido em 1710. Renunciou hum Canonicato da Cathedral de Miranda para tomar o estado conjugal. Foy Dezembargador da Relaçaõ do Porto, e da Caza da Suplicaçao de cujo lugar tomou posse a 11 de Outubro de 1708. por seu Procurador o Dezembargador Belchior do Rego de Andrade. Estando despachado Conselheiro da Fazenda morreo na Villa de Sernacelhe a 12 de Setembro de 1715. Dictou duas Postillas a 1. ad Text. 1 4. cod. de conditionibus insertis. A 2 ad Tit. ff. de Jurisdictione omnium Judicum. Teve admiravel genio para a Poezia vulgar de que he claro argumento a obra, que sahio a pag. 142. dos Acroam. Paneg. com que a Santa Cathedral Igreja de Coimbra recebeo a sagrada reliquia de Santo Thomaz de Villanova. Coimbra por Iozé Ferreira. 1690. 4.

En la trãslacion de la siempre venerable reliquia de Santo Thomaz de Villanueua a la insigne Cathedral de Coimbra. Sylva. Começa.

Del claro Turia Semidios Sagrado.

Delle faz mençaõ D. Iozé Barboza Mem. do Colleg. de S. Paulo pag. 230. n. 150. e no Archiath. Lusit. pag. 61.

Adveniet Ribeiro vetus Fonceca coronat

Agnomen vigilis fulgebit honore Magistri;

Praemia ut accipiat tanto collecta labore,

Dum Patriam inviset, patriis tummulabitur arvis.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]