MANOEL CORREA MONTE-NEGRO cuja nobre ascendencia he taõ conhecida, como ignorada a certeza da sua patria escrevendo Joaõ Franco Barreto Bib. Portug. M. S. ser Monte Alegre, Melgaço, ou Chaves, e Joan. Soar. de Brito Theatr. Lusit. Litter. lit. E. n. 30. Canavezes em o Bispado do Porto. Estudou em Salamanca letras humanas, e sahio pela sua continua aplicaçaõ profundamente instruido no primor da Poesia, e erudiçaõ da Historia e exame da Genealogia. Ocupou na dita Cidade o lugar de Corrector dos livros, que sahiraõ á luz publica. Delle fazem memoria Faria Vid. de Camoens impressa no 1. Tom. dos Coment. Das Rim., e no Comment. das Lusiad. Tom. 1. pag. 39. Fr. Bernardo da Silva Defens. Da Mon. Lusit. Part. 2. cap. 5. D. Franc. Manoel na Cart. 1. da Cent. 4. das suas Cartas, o addicionad. da Bib. Orient. de Antonio de Leaõ Tom. 1. Tit. 2. col. 26. e Souza Apparat. á Hist. Gen. da Cas. Real Portug. p. 110. §. 117. e no Tom. 8. no fim pag. 7. Compoz.

Historia de los Reys, Señorias, y Emperadores de España con todas las cosas mas notables que en esta Provincia han acaesido desde el diluvio universal hasta nuestro tiempo. Salamanca 1592. Consta de 8. folhas de papel de forma grande. Sahio depois com o seguinte titulo.

Historia brevissima de España desde el principio del mundo hasta nuestros tiempos. Lisboa por Antonio Alvares 1620. He huma folha de papel Imperial para se pregar na parede.

Lusiada de Luiz de Camoens agora novamente reduzida por Manoel Correa Montenegro. Esta obra dedicou em Salamanca a 15. de Agosto de 1620. Ao Serenissimo Duque de Bragança D. Theodozio onde lhe diz. Encontrey os dias passados esta obra, e determiney restituilla, e emendala de muitos erros &c. e no Prologo escreve. Começou Luiz de Camoens a illustrar a lingua Portugueza reduzindo muitos vocabulos antigos, e obsoletos, e induzindo outros de novo tomados do Latim &c. que se ouveraõ Escritores, que depois o ajudaraõ facilmente se remediariaõ as faltas da nossa lingua….. E porque trabalhos taõ illustres naõ se desdourem, nem menoscabem em nada havemos buscado hum original dos mais antigos ao qual naõ falta nada de quanto o Poeta escreveo…. Entrando na materia mudamos todos os versos Esdruxulos, e agudos por sermuy mal parecidos em estilo heroico, ao menos no tempo de agora; trocamos algumas palavras por outras ao parecer melhor soantes &c.

De dictis, & factis Lusitanorum. He composto á semelhança de Valerio Maximo.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]