P. MANOEL DE ELVAS naceo em Lisboa sendo seus illustres Progenitores o Doutor Joaõ de Elvas graduado em ambos os Direitos na Universidade de Pariz, e Embaxador delRey D. Joaõ o II. juntamente com Ruy de Sousa a ElRey Duarte de Inglaterra, e D. Anna de Noronha. Na primeira idade mostrou a inclinaçaõ que tinha para a virtude. Ao tempo que contava treze annos foy mandado por seu pay estudar á Universidade de Pariz onde como tivesse agudo entendimento, e tenaz memoria para conservar tudo quanto ouvia foraõ admiraveis os progressos que fez recebendo em premio da sua sciencia as insignias Doutoraes em a Jurisprudencia Pontificia, e Cesarea. Restituido á patria, e ordenado de Presbitero obteve huma Abbadia no Arcebispado de Braga em que encheo as obrigaçoens de vigilante Pastor. Avisado pella muda voz de hum fatal sucesso renunciou a Abbadia, e se recolheo no Convento de Villar de Frades habitado de Conegos Seculares da Congregaçaõ do Evangelista cujo instituto observou exactamente assim na frequencia do Coro, e promptidaõ da obediencia, como na mortificaçaõ dos sentidos, e rigor de penitencias. Tres vezes exercitou o lugar de Geral da Congregaçaõ em cujo governo experimentaraõ os subditos brandura de pay, e naõ severidade de Prelado. Mereceo as estimaçoens delRey D. Manoel, e de sua segunda espoza D. Maria e de seu filho o Cardial D. Affonso, e sendo nomeado Bispo da Guarda humildemente o recuzou. Cumulado de heroicas virtudes falleceo no Convento de Santo Eloy de Lisboa a 8. de Junho de 1538. quando contava 90. annos de idade e 58. de Conego Secular. Delle fazem larga, e honorifica mençaõ Franc. de Santa Maria Chron. dos Coneg. Secul. liv. 4. cap. 4. e 5. e o Licenciado Jorge Cardozo Agiol. Lusit. Tom. 3. pag. 585. e no Com. de 8. de Junho letr. D. Compoz á instancia do Cardial D. Affonso de quem era Confessor os primeiros Officios de Nossa Senhora que se imprimiraõ neste Reyno como consta da primeira folha que diz. In nomine Domini Amen. In hoc volumine continentur quattuor Officia Beatae & Immaculatae Dei Genitricis Mariae ad recitationem horarum in diebus Sabbatis per totum annum secundum morem Romanae Curiae, & est devotissimum, & perutile opus, quibus de consuetudine, vel privilegio de Domina nostra recitare expedit. Quae quidem Officia fuerunt copulata, &ordinata industria, & deligentia Rererendi, & devoti Patris, praestantissimique Rectoris Emmanuelis Delborum Canonici Celestini habitùs Congregationis S. Joannis Evangelistae, quae, vulgariter nuncupatur de Santo Eloy Diocesis Ulyxbonensis ad cujus jussionem impressa fuerunt.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]