MANOEL DIAS DE LIMA naceo na Cidade de Faro em o Reyno do Algarve, e na Parochial Igreja de S. Pedro recebeo a graça bautismal a 24. De Novembro de 1669. sendo filho de Diogo Alvares, e Izabel Rodrigues. Estudou Filosofia em Evora onde recebeo o gráo de Mestre em Artes, e Jurisprudencia Canonica em Coimbra. Formado nesta Faculdade exercitou com sciencia, e desinteresse os lugares de Juiz de fóra de Castello de Vide, e Santarem, Provedor da Comarca de Setubal, Corregedor do Porto, e Dezembargador dos Aggravos na Relaçaõ desta Cidade. Teve natural inclinaçaõ para a Poesia vulgar produzindo a sua discreta Musa diversos generos de metros em que eraõ iguais a cadencia das vozes, e a sublimidade dos pensamentos. Foy eleito no anno de 1722. Academico da Academia Real para escrever as Memorias historicas delRey D. Manoel, que seriaõ elegantemente escritas se a morte o naõ arrebatara intempestivamente na Cidade do Porto a 6. de Setembro de 1745. quando contava 76. annos de idade. Jaz sepultado no Convento dos Carmelitas Descalsos. Compoz.

Practica quando foy admitido a Academia Real. Lisboa por Paschoal da Silva Impressor de Sua Magestade 1722. fol. No Tom. 2. da Collec. dos Docum. da dita Acad.

Carta dos seus Estudos Academicos em que prometia disputar 27. Questoens concernentes ao argumento das Memorias DelRey D. Manoel recitada na Academia a 26. de Mayo de 1722. Sahio no Tom. 2. da Collec. dos Docum.

Antonomasias epithetos puros, e compostos, e parallelos delRey D. Manoel com as causas porque lhos deraõ. Lisboa por Paschoal da Silva 1723. fol. Sahio no Tom. 3. da Collec. dos Docum. da Academia Real.

Conta dos seus Estudos Academicos no Paço a 22. Outubro de 1625. Sahio no Tom. 5. da Collec. dos Docum. Lisboa por Paschoal da Silva 1725. fol.

De Adventu D. Jacobi Apostoli in Hispaniam. 4. M. S. Esta obra em que com solidos argumentos mostrava que Saõ-Tiago prégara a Fé em Hespanha conservava em seu poder o R. P. D. Manoel Caetano de Sousa Clerigo Regular como escreve no 2. Tom. Exped. Hispan. Apostoli S. Jacobi Mayoris pag. 1312. §. 336.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]