Silva Carvalho, «Chamo-lhe síntese»