Fr. MANOEL DE S. JOZÉ, natural de Lisboa filho de Roque Montez, e Anna Monteira Erimita de Santo Agostinho, cujo instituto professou no Convento patrio de N. Senhora da Graça a 12 de Junho de 1633. onde floreceo com enveja dos seus condiscipulos nas sciencias escolasticas até jubilar no magisterio dellas. Foy excellente humanista, e discretissimo Poeta de cuja veya ainda fe conservaõ elegantes monumentos merecendo entre todos a primazia aquelle canto heroico que consta de 135 oitavas intitulado

Saudades de Lidia, e Armido.

Começa

Era tempo, em que pallido retrata

Seus ardores o Sol na Thetis fri, &c Sahio impresso no Tom. 1. da Fenix renascida, ou obras poeticas dos mayores engenhos Portuguezes. Lisboa, por Jozé Lopes Ferreira 1716. 8. de pag. 32. até 37.

Depois de ser Prior do Convento da Cidade de Angra Capital da Ilha Terceira se ausentou para Madrid no anno de 1655. onde foy Prégador de Felippe IV. e nesta Corte falleceo. Deixou

Sermaõ da Soledade da Mãy de Deos. M. S. he discretissimo.

Tratado do Juramento. Conserva-se na Livraria do Convento de Lisboa.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]