Fr. MANOEL DE S. JERONYMO, sahio do Ventre materno em Lisboa a 2. De Agosto de 1702. depois de ter sahido morto outro irmaõ, e como naõ excedesse a estatura de palmo e meyo foy logo bautizado. Teve por Pays a Antonio Garcia, e Maria Correa que o educaraõ com taõ santos documentos, que desprezando o mundo se recolheo na Religiaõ de S. Jeronymõ recebendo o habito no Convento de Penha-Longa a 8. de Fevereiro de 1721. e professando a 9 do dito mez do anno seguinte. O engenho feliz de que o dotara a natureza para as letras amenas, e severas se admirou por muitas vezes principalmente quando foy laureado Doutor Theologo na Universidade de Coimbra a 25. de Julho de 1731. e dictou Filosofia no Real Mosteiro de Santa Marinha da Costa presidindo a quatro Conclusoens de todo o dia em verso Latino. Duas de Logica em verso heroico; humas de toda a Physica em Elegia, e no terceiro anno 60. Problemas de toda a Filosofia em verso tirada de cada Problema huma reflexaõ expressada em hum Epigramma com o conceito deduzido dos Problemas. Foraõ dedicadas a Santa Thereza, cuja vida refere na Dedicatoria em 60. Dystichos com alluzaõ aos Problemas, ou conceitos dos Epigrammas por sua ordem. Este acto se fez mais plausivel por lhe argumentar taõbem em verso o Doutor Manoel Lopes, Medico na Villa de Guimaraens cujo argumento repetio negando, concedendo, e distinguindo em verso sem faltar á certeza do metro, e ao estylo escholastico. Ao tempo que estava dictando Theologia ouvio hum Sermaõ de Fr. Jozé de S. Joaõ celebre Missionario do Seminario de N. S. dos Anjos de Brancanes, e de tal modo ficou penetrado das vozes daquelle apostolico varaõ que resolveo abraçar aquelle instituto como taõ conducente para a salvaçaõ. Alcançada faculdade do Pontifice Clemente XII. se passou para o Seminario de Brancanes no 1. de Novembro de 1735. e professou no anno seguinte, onde exercitou com fervor os ministerios de Missionario Apostolico; porém como tivesse a compleiçaõ debil para tolerar taõ laboriosa vida recolhendo-se de huma Missaõ ao Seminario adoeceo gravemente de hum pé que molestara na jornada, de que se seguio abriremse sinco chagas profundas, que lhe deraõ causa bastante para exercitar o seu soffrimento até que piamente acabou a vida a 2. de Dezembro de 1746. quando contava 44 annos de idade. Compoz.

Clara, & brevis notitia Seminarii Dominae nostrae Angelorum vulgo de Brancanes in Villa Cetobricae. Ulysipone apud Ignatium Rodrigues. 1745 4. Sahio sem o seu nome.

Armas da razaõ contra a semrazaõ do pecado, tiradas da Fortaleza da verdade, 2. Tomos. Constava dos seus  ermoens, que nas Missoens prégava os quaes vimos M. S.

Clavis Sacrae Scripturae. Tratava da intelligencia de muitos lugares da Escritura difficultosos.

Regra de S. Francisco em verso heroico latino.

Litania Lauretana. Cada titulo um anagramma, e a cada anagramma hum epigramma. Compoz esta obra na ultima enfermidade, como tambem 8. Decimas, e hum Soneto Portuguezes a Christo Crucificado.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]