MANOEL MENDES, natural da Villa da Vidigueira titulo de Condado em a Provincia Transtagana. Estudou em Coimbra com grande aplicaçaõ letras humanas, e Filosofia para depois ensinar em Sevilha, Algarve, e muitas terras do Alentejo no espaço de vinte annos os preceitos Grammaticaes da lingua Latina em que foy muito perito, como em a Grega, e ainda no anno de 1614. ensinava na Cidade de Lagos por ordem do Illustrissimo Bispo do Algarve D. Fernaõ Martins Mascarenhas. Compoz

Vida, e Fabulas do insigne Fabulador Grego Esopo, de novo juntas, e traduzidas com breves aplicaçoens moraes a cada Fabula. Evora por Manoel de Lyra 1603. 12. Lisboa por Jorge Rodrigues 1611. 8. & ibi por Antonio Alvares 1643. 12. ibi por Francisco Villela. 1673. 8. e Coimbra por Jozé Antunes da Sylva Impressor da Universidade 1705. 8.

Traduçaõ de Diodoro Siculo. Dedicada a D. Francisco Rolim Fidalgo de Cota de armas por Alvará delRey D. Joaõ IV. passado a 2 de Mayo de 1646. Senhor da Azambuja. M. S.

Discurso em louvor da Arte de Grammatica addicionada pelo P.Antonio Velez. Dedicada a seu amigo Joaõ Nunes Freire.

Romance ao Numero Ternario. Consta de 96 coplas.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]