P. MANOEL DOS REYS, natural do lugar de Loures situado no Termo de Lisboa, onde teve por Pays a Domingos Bernardes, e Jeronyma Duarte. Na florente idade de 17 annos vestio a roupeta de Jesuita em o Noviciado de Lisboa a 20 de Novembro de 1652, onde se distinguio de todos os seus condiscipulos em o progresso das letras humanas que ensinou com aplauso nas principaes Cadeiras dos Collegios da Companhia. Mereceo a universal aclamaçaõ de Orador Evangelico, para cujo ministerio o ornou a natureza de todas as partes necessarias, porque ainda que era de estatura pequena, a viveza das acçoens, a suavidade da voz, a eloquencia da fraze, e a profundidade do discurso arrebatavaõ com oculta força a todos os eruditos que lhe formavaõ o auditorio. Por ser taõ insigne o seu talento para o pulpito, foy mandado explicar Escritura em o Collegio de Coimbra havendo já dictado Filosofia, desempenhando taõ alta incumbencia com huma douta parafraze, que fez a Arca do Testamento ornada de discursos moraes, e politicos para instruçaõ dos Prégadores. Naõ podendo pela delicadeza da compleiçaõ tolerar o laborioso exercicio de tantos Sermoens, para que era chamado, se retirou ao Collegio de Braga, onde sendo eleito Reitor, naõ descançou até que o Geral o aliviasse deste lugar totalmente contrario á humildade do seu genio; porém sempre continuou na observancia do seu instituto, do qual foy exemplar cultor. Falleceo piamente a 21 de Abril de 1699, quando contava 64 annos de idade e 47 de Companhia. Delle se lembraõ Franco Imag. da Virtud. do Nov. de Lisb. pag. 974. & Annal. S. J. in Lusit. p. 407. n. 12. ingenium praeclarum, & praestantissimae ad sacrum Suggestum dotes, e Fonseca Evor. Glorios. p. 436. insigne, e eloquentissimo Prégador.

Compoz

Sermaõ a S. Thomaz de Villanova no 1. dia em que a devotissima Irmandade de novo erigida festejou a felicidade de ter a seu glorioso Pay em Coimbra, em semelhante dia chegado em sua miraculosa reliquia á illustre, e insigne Cathedral da mesma Cidade em 18 de Janeiro de 1688. Coimbra por Jozé Ferreira, Impressor da Universidade 1690. 4. a p. 173. dos Acroamas Panegyricos com que a S. Cathedral Igreja de Coimbra recebeo, venerou, e aplaudio a insigne reliquia de S. Thomaz de Villanova, &c.

Dos seus Sermoens que deixou escritos primorosamente pela sua maõ, pois até nesta parte era insigne, se publicaraõ posthumos.

Sermoens 1. Parte, em que se contém muitos pertencentes ao Advento, e Quaresma, com outros adjuntos. Evora na Officina da Universidade 1717. 4.

Sermoens 2. Parte, que constaõ do Santissimo Sacramento, a Virgem Senhora Nossa, e alguns Apostolos. ibi na mesma Officina. 1720. 4.

Sermoens 3. Parte, que constaõ de Panegyricos de Santos, e de Nacimentos, e Exequias de Principes. ibi na mesma Officina, 1724. 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]