Fr. MANOEL DOS SANTOS, naceo em Lisboa sendo filho de Antonio Ferreira, e Maria da Sylva. Na idade da adolescencia entrou na Religiaõ de S. Paulo primeiro Ermitaõ professando solemnemente no Convento do Santissimo Sacramento de Lisboa a 27 de Janeiro de 1686. Aprendeo a Arte de contraponto com o insigne Antonio Marques Lesbio Mestre da Capella Real do qual se fez larga memoria em seu lugar, bastando este discipulo para immortal credito do seu magisterio pois chegou a ser entre os professores da Musica o mais perito assim pela novidade das ideas, como collocaçaõ das vozes sempre regulada conforme os preceitos da Arte com que dispunha as suas composiçoens. Nos mais celebres Templos da Corte se ouviraõ com admiraçaõ as sonoras produçoens da sua penna  principalmente em a Capella Real precebendo annualmente como seu Compositor sessenta mil reis de ordenado. Naõ foy menos estimavel a sua habilidade na destreza com que tangia orgaõ arrebatando pelos ouvidos a attençaõ dos mais insignes tangedores.  Falleceo no Convento patrio a 19 de Setembro de 1737. Das muitas obras musicas, que compoz merecem o primeiro lugar.

Texto das Paixoens da Dominga de Ramos, Terça, Quarta, e Sexta feira da Semana Santa a 4. vozes.

Liçoens de S. Agostinho, e S. Paulo das Matinas da Quinta feira, Sexta, e Sabbado da Semana Santa. a 8.

Responsorios das Matinas da Quinta feira, Sexta, e Sabbado da Semana Santa. a 8.

Miserere mei Deus. a 3. Coros.

Te Deum Laudamus. a 3. Coros. Foy composto, e cantado na Capella Real, quando no anno de 1708 foy nella recebida a Serenissima Rainha D. Mariana de Austria.

In exitu Israel de Aegypto. a 4. vozes de estante.

Beatus Vir. a 8. vozes de Prolaçaõ mayor.

Vilhancicos da Conceiçaõ, Natal, e Reys a 8. Vozes para se cantarem na Capella Real nas Matinas destas Festividades.

 

  [Bibliotheca Lusitana, vol. III]