D. AFFONSO MANOEL DE MENEZES, naceo na Freguezia de Santa Marinha da Avanca em a Comarca da Feyra do Bispado do Porto, onde foy bautizado a 2 de Outubro de 1672. Foy filho de D. João Manoel de Menezes Procurador nas Cortes, que celebrou o Principe D. Pedro Regente desta Monarchia em o anno de 1679. Neto de D. Affonso de Menezes Mestre Sala de ElRey D. João o IV Commendador da Iseda na Ordem de Christo, Capitão mór de Monção, Senhor da Villa da Ponte da Barca, e da Torre, e Conselho de Nobrega, e Sobrinho do Arcebispo Primaz de Braga D. José de Menezes, que com as suas profundas letras ilustrou o Sacerdocio, e o Imperio. De tão ilustres Ascendentes herdou a viveza do engenho e a capacidade do talento, com que em a Universidade de Coimbra penetrou as dificuldades do Direito Pontificio, em que re3cebeo o gráo de Licenciado a 21 de Julho de 1694 com grande aplauso de todos os Academicos. Foy moço Fidalgo, Cavalleiro da Ordem de Christo, cujo habito professou nas mãos do D. Priot Fr. Martinho Pereira Lente de Vespera da Universidade de Coimbra a 16 de Novembro de 1698. Sendo Beneficiado na Collegiada de Freyxo de Espada na cinta passou a Arcediago do Bago da Igreja Primacial de Braga, que he a terceira Cadeira desta Cathedral, em que foy provido por seu Tio D. Joseph de Menezes em 19 de Setembro de 1695. Conferiolhe as Ordens de Presbytero o Bispo Conde D. João de Mello a 25 de Março de 1697. A sua vasta sciencia acompanhada de summa integridade o elevou a ennobrecer os Tribunaes Ecclesiasticos, e Seculares sendo Deputado da Inquisição de Coimbra, de que tomou posse a 30 de Janeiro de 1697 donde passou com o mesmo ministério para Lisboa a 6 de Dezembro de 1704 e a Dezembargador da Relação do Porto a 29 de Agosto de 1703 donde se transferio para a Casa da Supplicação a 27 de Novembro de 1704 e ultimamente a Dezembargador dos Agravos a 5 de Julho de 1710. A continua aplicação ao estudo da Jurisprudencia o não privou do da Historia, e Geneologia, em que he eruditamente versado, como publicaõ os muitos livros de Familias deste Reyno escritos por seu grande Tio D. Francisco de Menezes insigne Genealogista, aos quaes tem adicionado até o tempo prezente, e que faz memoria o Padre D. Antonio Caetano de Souza. Apparat. à Hist. da Casa Real Portug., p. 120 n 130. Tem mais composto: Commentaria ad Ordinationem Lusitanam, tom. 1. Nelle faz das palavras iniciaes da mesma Ordenação huma espécie de Tratado intitulado Anteloquio, a que se segue huma exposição ao Prologo da mesma Ordenação, e acaba com o Commento ao Liv. 1, Tit. 1 e Tit. 2. Tom. 2 Principia pelo mesmo Liv. 1, Tit. 3, onde leva anexo o Regimento do Dezembargo do Paço, e também inclue o Tit. 4. Tom. 3 Começa no Liv. 1, Tit. 5 e acaba no Tit. 18. Tom. 4 Começa no Liv. 1, Tit. 19 e acaba no Tit. 57. Tom. 5 Começa no Liv. 1, Tit. 58 e chega ao Tit. 62 & 14 o qual ainda não está acabado. Todos estes Tomos, excepto o ultimo, estão com seus Indices capazes de se imprimirem.

 

[Bibliotheca Lusitana, Historica, Critica e Chronologica, vol. 1]