AFFONSO DE FRANÇA, foy hum dos principaes Portuguezes que para restituir ao Emperador Claudio o Imperio dos Abexins consumido com huma diuturna, e intestina guerra movida por ElRey de Zeyla, partio da India no anno de 1541 em companhia do insigne Capitão, e invencivel Martyr D. Christovão da Gama. Pacificadas as alteraçoens daquele Imperio assistio nelle por toda a vida recebendo sempre particulares favores, e estimaçoens do Emperador, naõ havendo negocio importante em que o não consultasse. No anno de 1555, foy mandado Diogo Dias em companhia do Padre Gonçalo Rodrigues Jesuita por Embaxador a este Principe para saber se estava prompto a receber o nosso Patriarcha, e ouvindo a proposta do Embaxador de tal sorte se perturbou, que naõ deu reposta congruente por estarobstinadamente affecto aos scismaticos erros da Igreja de Alexandria. Para o convencer desta cegueira escreveo o Padre Gonçalo Rodriguez hum douto tratado em que mostrava a verdade da Igreja Romana, e a falsidade da Alexandrina, o qual para ser lido pelo Emperador o traduzio da língua Portugueza na Chaldaica Affonso de França por ser nella muito perito. Alem desta tradução escreveo huma carta ao Padre Gonçalo Rodriguez acerca da disputa, qe teve com o Emperador sobre a matéria da Religião, a qual carta, e o que escrevemos de Affonso de França, relataõ Nicolao Godinh. de rebus Abyssin., lib. 2, cap. 19; Fernão. Guer. na addic. à Relação da Etiopia de 1607 e 1608, cap. 3 e o Padre Francisco de Sousa Orient. Conq., part. 1, Conq. 5, divis. 2 & 19 e 20.

 

[Bibliotheca Lusitana, Historica, Critica e Chronologica, vol. 1]