Fr. AFFONSO DE SANTO ANTONIO, natural da Villa de Aviz situada na Provincia do Alentejo irmão de sangue, e Religião dos Trinitarios Descalços na Provincia de Castella, de Fr. Luiz da Conceição, de quem se fará menção. Foy varaõ de grande autoridade, e benemérito da sua sagrada, e religiosa Familia, da qual sendo Procurador Geral se empenhou com argumentos concludentes a mostrar não somente os privilégios, e exepçoens, que tinha, mas a primazia, e antiguidade, com que no exercício de resgatar os Cativos do poder dos bárbaros lograva contra a preferência pretendida nesta matéria pela ilustre, e militar Ordem dos Mercenarios. Em premio do zeo, com que atendia pelo esplendor da sua Religiaõ foy eleito Definidor, e Ministro do Convento de Madrid, e certamente ocuparia as mayores dignidades, se a morte em o anno de 1668 lhas naõ impedira. Compoz: Gloriosos tituos Originarios, e privativos dela Sagrada Religion de Descalços dela Santissima Trinidas redempcion de Cautivos por los quales se les deve por todos los Reynos dela Corona de España la primazia, y antiguedas de Religion aprovada redentora de Cautivos respeto dela ilustre Orden de N. Señora dela Merced. Madrid por Maria de Quiñónes, 1661 em folha. Foy segunda vez impresso como afirma Fr. Rafael de S. João no seu Livro intitulado Redempcion de Cautivos. Dela Conception dela Virgen Maria. Desta obra faz menção seu irmão Fr. Luiz da Conceiçaõ no fim do Tom 1 Exam. Verit. Moral. Theolog. in Corollar. pro Concept. onde diz Discursum igitur hunc (& non naturaliz me movet fraternitas) Sanctorum Doctorum ornatum testimoniis eleganter satis vulgari nostro idiomate P. FR. Alphonsus à Sancto Antonio affert, tom M. S. Arbol Eucharistico dela vida natural, espiritual, e eterna re3presentada en los três arboles de que se haze memoria en los libros Sagrados Genezis, Proverbios, y Apocalipse. Em folha. M. S. Conserva-se esta obra no Convento de Madrid, como escreve Fr. Belchior do Espirito Santo na vida do V. P. Fr. João Bautista da Conceiçaõ Fundad. Dos Trin. Descalços, impressa em Madrid, 1713, 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, Historica, Critica e Chronologica, vol. 1]