F. AFFONSO DE ALFAMA nasceo na Cidade de Lisboa, para o mundo, e na Villa de Moura de Deos, onde recebeo, e professou o habito da Ordem Carmelitana. Foy Doutor na Sagrada Theologia, e hum dos mais famosos Letrados do seu tempo, e observantíssimo das Constituições da Ordem, por cujos merecimentos se fez digno de presidir como Vigario Geral ao Capitulo, que se celebrou em Lisboa em 6 de Julho de 1423, por ordem do Geral Fr. João Groz, no qual foy eleito Provincial com gerl acclamaçaõ, sendo o primeiro, que teve a Provincia de Portugal. Pelas suas grandes letras, que se faziaõ mais veneráveis pelas virtudes, mereceo a estimação dos Principes daquela idade. Teve a incomparável gloria de lançar o habito Carmelitano em 15 de Agosto de 1423 àquelle invencivel Heroe o Condestavel D. Nuno Alvares Pereira, que depois de obrar as mais heroicas acçoens na campanha, se retirou a conquistar o Ceo no Claustro. No tempo do seu governo se fez protector do Convento de Lisboa o Serenissimo Ry D. Duarte, cencedendo-lhe co generosa maõ as mayores ommunidades. Cheyo de anos, e merecimentos morreo em Lisboa no anno de 1435, ainda quando governava a Provincia, e foy sepultado no Cruzeiro do magnifico Templo do Carmo. Compoz: Doctrinale Patrum, cuja obra foy feita sobre as Colleçoens de Cassiano. Do progresso da Ordem Carmelitana, 2, Tom, nos quaes se compreendem onze livros, como diz João Franco Barreto na Bib. Lusit. M. S. O P. Fr. Manoel de Sá, Academico Supranumerario da Academia Real da Historia Portugueza nas Mem. Histor. dos Escrit. Port. Da Ordem do Carmo, que sahirão impressas no anno de 1724, escreve a pag. 6 que sendo ocultas á noticia de Fr. Marcos Antonio Alegre de Casanate, como lhe confessa, as obras de Fr. Affonso de Alfama, além das referidas, as manifestára a investigação do Doutor Joaõ de Ferreras no Index dos Escritores do seculo decimo quinto da Part. 2 da Hist. De Espan., as quaes eraõ o Fiel Conselheiro. O Bom governo da justiça. Tratado da Misericórdia. Deste engano em que inocentemente cahio o P. Fr. Manoel de Sá foy causa o Doutor Ferreras, que igualmente se enganou, atribuindo com manifesta equivocação a Fr. Affonso de Alfama estes tratados, que foraõ compostos pelo Serenissimo Rey D. Duarte, como em seu lugar se verá, sendo indisculpavel em hum Author de tanta critica, como he o Doutor Ferreras, hum erro, que facilmente poderá evitar, se lera com mayor attençaõ a Nicolao Antonio na Bib. Vet., tom 2, lib. 10, cap. 5 n 286, donde extrahio confusamente esta noticia equivocando hum com outro por estarem juntos na dita Bibliotheca. Faz memoria de Fr. Affonso de Alfama, além de Nicolao Antonio, e Frey Manoel de Sá nos lugares citados, a Magn. Bib. Ecclesiastic., pag. 313, col. 2.

 

[Bibliotheca Lusitana, Historica, Critica e Chronologica, vol. 1]