D. FR. AFFONSO CAVALLEIRO natural de Evora, e descendente da Illustre família dos Cavalleiros de Monte Mór o Novo, que se transferio para Barcellos. No Convento da sua Patria de Religiosos Franciscanos Claustraes recebeo o habito, e tanto creceo em letras, e virtudes, que os seus Prelados o elegeraõ para instruir aos seus domésticos com as Sciencias mayores. Passou a Italia, e na Universidade de Padua se graduou Doutor em Theologia, onde a leo com aplauso de Mestres, e discípulos, e depois foy Guardião do Convento de Safim em Africa. Foy dotado de grande talento para o Pulpito, donde era ouvido com geral admiração, muito sciente nas disciplinas mathematicas, e profundamente versado na Theologia Moral. Todos estes grandes dotes attrahorão ao Illustrissimo Bispo de Evora D. Affonso de Portugal para o eleger no anno de 1495 seu Coadjutor no Bispado, cujo lugar exercitou com o titulo de Bispado Sardicense, ou Sardense, huma das sette Cidades, a cujos Bispos se escreveraõ as sette Cartas, questão no Apocalypse. A mesma estimação mereceo com o Cardial Infante D. Affonso Administrador do Bispado de Evora, sendo tãobem seu Coadjutor, até que na mesma Cidade acabou a vida em 9 de Mayo de 1528. Foy sepultadp no Convento de Santa Clara de Evora junto à Capella mór da parte do Evangelho, donde depois o tresladaraõ para o Convento de S. Francisco da mesma Cidade. Fallaõ delle honorificamente Daça Chron. Seraf., part. 4, liv. 3, cap. 11; Fonsec. Evora Gloriosa, p. 314; Cardoso Agiol. Lusit., tom. 3, no Comment. de 9 de Mayo lit. D. Franco Bib. Portug. M.S. e o P. D. Manoel Caetano de Sousa no Cathal. Hist. dos Pontif. Card. Arc. e Bisp. Port., p. 103. Compoz: Sermoens hum Tom. De Paenitetia in fol. Estas obras se conservaraõ M. S. na Bib. de Manoel Sever. de Far. como affirma Fr. Fernando de Soled. Histor. Seraf. da Prov. de Port., tom 4, liv 3, cap. 9 n 529.

 

[Bibliotheca Lusitana, Historica, Critica e Chronologica, vol. 1]