Sor MARTHA MAGDALENA DO CALVARIO, chamada no seculo Dona Martha Caetana, natura1 de Lisboa, e filha do Desembargador Pedro de Almeida do Amaral Juiz da Coroa, e de D. Margarida de Oliveira. Na primavera dos annos despresou a vaidade mundana professando o austero instituto da primeira regra de Santa Clara, em o Convento do Santo Crucifixo desta Corte a 21 de Novembro de 1721, onde exercita as obrigaçoens de perfeita religiosa. Para que as suas companheiras naõ ignorem os preceitos da Regra que professaõ, publicou

A primeira Regra das Religiosas de S. Clara que lhe foy dada por Nosso Padre S. Francisco, confirmada pelo S. P. Innocencio IV. Lisboa, por Miguel Rodrigues, Impressor do Emminentissimo Senhor Patriarchal. 1743. 24.

Traduzio do idioma Castelhano de Fr. Leandro de Murcia religioso Capuchinho em a lingoa materna sem declarar o seu nome

Breve, e clara disposiçaõ da primeira regra da gloriosa Santa Clara, confirmada pelo Papa Innocencio IV. de feliz memoria, a qual guardaõ as Madres descalsas, e Capuchinhas, que por outro nome se chamaõ as Senhoras pobres da Ordem de S. Clara, em que se trataõ, e resolvem muitas difficuldades que pertencem ao estado das Religiosas de todas as Ordens particularmente aos tres votos essenciaes, e ao de clausura, recepçaõ, e profissaõ na Religiaõ, jejum, Officio Divino, eleiçoens, e poder das Preladas. Acrecentada com huma Constituiçaõ do Emminentissimo Senhor Cardeal Patriarcha, e huma declaraçaõ, de que as Religiosas do Convento do Santo Crucifixo de Lisboa saõ Capuchinhas da ultima reformaçaõ. Lisboa pelo dito Impressor 1744. 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]