P. MATHEOS DE MOURA, natural da Villa de Abrantes do Bispado da Guarda, sendo filho de Joaõ Pires, e Ignez de Moura. Foy admitido á Companhia de Jesus a 23 de Fevereiro de 1653, em o Noviciado de Evora, quando contava quatorze annos. Depois de ter dictado letras humanas, e Rethorica pelo espaço de tres annos passou ao Brasil, onde feita a profissaõ do quarto Voto ensinou Filosofia, e Theologia outo annos. De Secretario da Provincia subio a Provincial, e depois Reitor dos Collegios do Rio de Janeiro, e Bahia, onde falleceo a 29 de Agosto de 1728 com 89 annos de idade, e 76 de Religiaõ.

Compoz

Exhortaçoens Panegyricas, e Moraes. Lisboa por Antonio Pedroso Galraõ 1719. 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]