P. MAURICIO SERPE. Naceo em a Villa de Caminha do Arcebispado de Braga, onde teve por Pays a Vasco Serpe, e Anna Vaz. Agregou-se á Companhia de Jesus em o Noviciado de Evora em 21 de Mayo de 1547. Foy o sexto Preposito que teve a Casa professa de S. Roque, e Reitor do Collegio de Evora. Vagando o lugar de Confessor delRey D. Sebastiaõ por morte do P. Luiz Gonçalves da Camara, foy seu substituto, e por mais instancias que fez a ElRey, para que desistisse da temeraria jornada de Africa permaneceo inflexivel na sua resoluçaõ. Ao partir dispedindo-se do P. Amador Rebello, Mestre que fora do mesmo Principe lhe disse, que se viriaõ no outro mundo, vaticinando o infausto sucesso do exercito Portuguez. No dia 4 de Agosto de 1578, em que fatalmente agonisou a gloria desta Monarchia, ao tempo que os barbaros vagavaõ pelo campo victoriosos, reparou hum que o P. Mauricio estava confessando a hum Fidalgo gravemente ferido, e levantando o alfange lhe dividio a cabeça em duas partes. Com taõ glorioso fim acabou a vida este Varaõ, que entre os Martyres da Companhia he venerado pelos Padres Mathias Taner Societ. Jes. usque ad vit. et sang. prof. milit. p. 181. Nadasi Ann. dier. mem. S. J. Part. 2. p. 8 1. Alegambe Mortes illustr. p. 76. Hist. Societ. lib. n. 36. Telles Chron. da Comp. de Jes. da Prov. de Portug. Part. 1. liv. 2. cap. 19. n. 1 . até 5 . Franco Imag. da Virtud. do Nov. de Evor. liv. 1. cap. 14. n. 8. e seg. e Fonseca Evor. Glor. p. 432. onde lhe chama Gaspar Mauricio. Escreveo com muita individuaçaõ

Historia da gloriosa morte do P. Ignacio de Azevedo, e de seus Companheiros, de como ajuntou, e educou aquelle grande numero de Missionarios. fol. M. S. Conserva-se na Quinta de Val de Rosal do Collegio de Lisboa, situada fronteira a Lisboa, como escreve o P. Taner no lugar assima allegado. O Padre Simaõ de Vasconcellos Chron. da Comp. de Jes. da Prov. do Brasil. liv. 4. n. 66. diz que esta historia he o fundamento principal donde se tirou, o que trazem os mais Authores.

Annuae S. J. R. in Christo Patri Praeposito Gen. S. J. 4. M. S. Conserva-se no Collegio de Evora.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]