MENDO DE FOYOS PEREIRA. Naceo em a Villa de Thomar no anno de 1643, sendo filho de Mendo de Foyos Pereira, Dezembargador da Casa da Suplicaçaõ, e de D. Maria Correa de Sylvella, filha de Antonio Ribeiro Correa Cheles, e de sua mulher D. Luiza Botada. Na Universidade de Coimbra estudou Jurisprudencia Cesarea, na qual recebido o grao de Bacharel, foy Juiz do Civil em Lisboa, e Escrivaõ do Senado da mesma Cidade. A madureza do talento, e instruçaõ da politica com que se fez dos mais insignes Estadistas do seu tempo o habilitaraõ para ser Enviado na Corte de Madrid, e depois Secretario de Estado delRey D. Pedro II. por carta de 20 de Agosto de 1686. Foy insigne Poeta, grande cortezaõ, e naturalmente discreto. Casou com D. Juliana Maria Jordaõ de Noronha de quem naõ teve sucessaõ. Falleceo em Lisboa a 5 de Setembro de 1708, quando contava 64 annos de idade. Jaz sepultado em hum soberbo Mausoleo em a Sancristia do Convento de N. S. da Graça dos Erimitas de Santo Agostinho ornada de admiraveis quadros de insignes Pintores por seu irmaõ D. Fr. Antonio Botado Bispo de Hiponia, Erimita Augustiniano. Compoz muitos versos a diversos Assumptos, dos quaes se podia formar hum grande volume, e sómente se publicaraõ.

A la muerte del Excellentissimo Senhor Marquez de Tavora Cancion. Sahio no Compend. Panegyr. da Vid. e Acçoens deste Heroe. Lisboa por Antonio Rodrigues de Abreu 1674. 4. a p. 108.

Cançaõ á Batalha de Montes Claros no anno de 1665. Sahio no Tom. 5. Da Feniz Renacida. Lisboa por Antonio Pedroso Galraõ. 1728. 8. a pag. 258. Até 261.

Soneto em aplauso do celebre Jurisconsulto, Manoel Alvares Pegas. Sahio no Tom. 2. Comment. ad Ord. Reg. Ulysipone apud Joannem Costa 1670. fol.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]