PANTALIAM RODRIGUES PACHECO. Naceo em a Cidade de Evora, onde forao seus Progenitores Lourenço Pacheco, e D. Maria dos Reys. Estudou em a Universidade de Coimbra Direito Pontificio, ern que fez taes progressos a sua grande comprehensaõ, e feliz memoria que recebido o grao de Doutor regentou muitas Cadeiras com aplauso universal sendo hum dos famosos alumnos do Collegio Real de S. Paulo, onde foy admitido a 20 de Dezembro de 1622. De Conego Doutoral de Coimbra, Deputado, e Inquisidor da mesma Cidade passou para Conego Doutoral de Lisboa a 12 de Junho de 1637, e Deputado do Conselho Geral a 28 de Janeiro de 1641, e ultimamente a Desembargador do Paço. Assistio na Curia Romana juntamente com o Illustrissimo Bispo de Lamego D. Miguel de Portugal Embaixador extraordinario delRey D. Joaõ IV. onde representou á Santidade de Urbano VIII. por hum doutissimo Manifesto o direito incontestavel, com que fora elevado ao trono de Portugal o Serenissimo Duque de Bragança. Foy eleito Bispo de Elvas, e hum dos Juizes em a causa da anullaçaõ do Casamento delRey D. Affonso VI. com a Rainha D. Maria Francisca Isabel de Saboya. Sendo injustamente prezo pela inconfidencia naõ quiz averbar de sospeito a hum dos Juizes que lhe era pouco affecto o qual votou a seu favor, admirando-se de hum a constancia, e de outro a rectidaõ. Falleceo em Lisboa a 30 de Dezembro de 1667. Jaz sepultado na Sanchristia da Cathedral de Lisboa, com este epitafio

Aqui jaz o corpo do Doutor Pantaleaõ Rodrigues Pacheco que foy Conego nesta Santa Sé de Lisboa, e falleceo aos trinta dias do mez de Dezembro de 1667.

Fazem illustre memoria do seu nome o Excellentissimo Conde da Ericeira D. Luiz de Menezes Portug. Restaur. liv. 3. p. 162. Achavaõ se nelle com grande igualdade as letras, e as virtudes. Fr. Franc. a S. Aug. Propilg. Lusit. Galic. p. 208. In quem cum nobilitate omnia ingenii, prudentiae, scientiae, & pietatis ornamenta confluxeriunt. Monteiro Cathal. dos Deput. do Cons. Geral. n. 47. D. Nic. de Santa Maria Chron. dos Coneg. Reg. liv. 10. cap. 15 n. 14. Barbosa Memor. do Colleg. Real de S. Paulo p. 123 e no Archiat. Lusit. p. 32.

Ecce petet Romam doctus Paciecus, ut illã

Conciliet Lysiae socius datus ille fidelis

Legato notum cui Portugallia nomen

Regali de gente dabit; mox jura Joannis

Quà scriptis, quà voce tuebitur optima Quarti

Compoz

Alla Santità d’Urbano VIII. N. S. Leone nella Stamparia de Guilielmi di Giugno 1642. fol. Começa. Sotto li Sacri piedi di V. Beatudine, &c. He hum Manifesto da Justiça com que ElRey D. Joaõ IV. foy elevado ao trono de Portugal. Sahio vertido em Portuguez. Lisboa, por Domingos Lopes Rosa 1643. 4.

Apologia pela Aclamaçaõ do Serenissimo Rey D. Joaõ IV. feita no anno de 1646, quando o Colleitor Bispo de Nicastro, foy expulso de Portugal. Começa. Manifesto seja a toda a Christandade, &c. Consta de 8 folhas de papel. Naõ tem lugar da Impresaõ. Sahio traduzido em Italiano, e impresso sem lugar da ediçaõ.

No tempo que regentou varias Cadeiras em a Universidade de Coimbra dictou as Postilas seguintes.

Ad Cap. Venditori Fin. de Emptione, & Venditione.

Ad Tit. de mutuis petitionibus.

Ad Tit. de Deposito ad Rubric.

Ad Cap. Magnum quidem 28. caus. 2. Quaest 1.

De exactione Tributi.

Ad Tit. de Offic. & Potestat. Judic. Delegati.

Ad Cap. 1. de Regulis Juris in antiquis.

Ad Cap. unic. de Infantibus, & Languidis expositis.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]