PEDRO FERNANDES MONTEIRO, natural da Villa de Monforte em a Provincia Trastagana, sendo filho de Martim Mendes Monteiro Escudeiro da Casa de Bragança, e Juiz dos Orfãos de Monforte, e de Isabel Vaz. O talento que teve para a Jurisprudencia Civil estudada na Universidade de Coimbra o habilitou para ser Desembargador da Casa da Suplicaçaõ a 9 de Abril de 1644, Secretario do Principe D. Theodosio, Procurador, e Conselheiro da Fazenda, Desembargador do Paço, e muitas vezes servio em lugar de Presidente, Deputado da Junta dos Tres Estados, Juiz da Inconfidencia, e das Coutadas, e Ministro do Despacho, Comendador de Santa Maria de Fiaes de Monte Alegre da Ordem Militar de Christo. Em todos estes lugares atendeo com grande zelo, e actividade pelos interesses da Republica devendo-se aos seus arbitrios a instituiçaõ da Junta do Comercio, o augmento da Fazenda Real, e a conservaçaõ das Conquistas Portuguezas. Casou com D. Constança Paim, de quem teve a Roque Monteiro Paim Secretario delRey D. Pedro II. Juiz da Inconfidencia, Conselheiro da Fazenda, Senhor do Conselho de Villacaiz, Maya, e Agrela, e Comendador de Santa Maria da Companhãa, de quem se fará mais larga memoria em seu lugar: Martim Monteiro Paim Commissario da Bulla da Crusada: Antonio Monteiro Paim Deaõ da Cathedral de Coimbra Collegial do Collegio de S. Pedro, Deputado, e Inquisidor das Inquisiçoens de Coimbra, e de Lisboa, e ultimamente do Conselho Geral. Falleceo em Lisboa a 16 de Fevereiro de 1673. Jaz sepultado em hum nobre mausoleo situado na Capella mór do Convento da Santissima Trindade desta Corte, da qual he padroeira a sua Casa da parte do Evangelho com hum largo epitafio, que relata as acçoens da sua vida. Sendo Procurador nas Cortes celebradas em Lisboa no anno de 1668, em que foy jurado Regente do Reino, o Principe D. Pedro recitou

Pratica no Juramento do Serenissimo Principe D. Pedro nas Cortes, que se celebraraõ em 27 de Janeiro de 1668. Lisboa por Domingos Carneiro. 1668. 4. & ibi por Antonio Crasbeeck de Mello Impressor de S. Alteza. 1669. fol.

Pratica no acto do Juramento do Serenissimo Principe D. Pedro como Regente, e Governador dos Reinos de Portugal nas Cortes celebradas em 9 de Junho de 1668. Lisboa por Domingos Carneiro 1668. 4. & ibi por Antonio Crasbeeck de Mello Impressor de S. Alteza 1669. fol.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]