PEDRO BARBOSA DE LUNA, natural de Vianna do Minho, filho de Miguel Jacome de Luna, e Genebra Barbosa irmã do insigne Jurisconfulto Pedro Barbosa, do qual assima se fez larga memoria. Estudou Jurisprudencia Cesarea na Universidade de Coimbra, em cuja Faculdade recebidas as insignias doutoraes, foy admitido a Collegial do Collegio Real de S. Paulo a 23 de Novembro de 1584. Foy Desembargador do Porto, e da Casa da Suplicaçaõ, e Corregedor da Corte. Por naõ administrar rectamente estes lugares esteve prezo vinte e dous annos, e ultimamete condenado a despir a Béca, cuja sentença se revogou. Foy cazado com D. Antonia de Mello, filha herdeira de Miguel da Franca Diniz Senhor de Serzedelo, e Alvarenga, e de sua mulher D. Guiomar de Vasconcellos, de quem teve Luiz de Mello Deaõ da Cathedral de Braga, e Deputado do Conselho Geral do Santo Officio, do qual se fez mençaõ em seu lugar. D. Pedro Barbosa Deça Conego de Evora, Prior mór de Aviz, e Bispo de Leiria, de cuja dignidade tomou posse a 10 de Setembro de 1636: e a Miguel de Vasconcellos Secretario de Estado da Princeza Margarita Duqueza de Mantua, o qual acabou em o primeiro de Dezembro de 1640. tragica victima do furor popular. Entrando de noite para sua casa situada em o Chafariz delRey em Lisboa, foy morto de huma estocada a 23 de Outubro de 1621. Jaz sepultado na Igreja da Casa professa de S. Roque na sepultura de seu Tio materno o insigne Pedro Barbosa, do qual tinha publicado em o anno de 1613. Tratado de Judiciis, e o dedicou á Magestade de Filippe III. onde em seu louvor está huma elegante Elegia, composta por Vasco Mouzinho de Quevedo. Publicou

Informacion en derecho sobre el caso del Doutor Pedro Barbosa. Naõ tem lugar, nem anno da Impressaõ.

Alvitre, que o Desembargador Pedro Barbosa deu a S. Magestade contra os juros que possuem os herdeiros de André Ximenes, dizendo serem usurarios, que por serem estaõ perdidos para a Coroa com os redditos tudo em dobro conforme a Ordenaçaõ. Item relaçaõ da fórma com que Sua Magestade mandou vender sinco contos e quatrocentos mil reis de juro ás pessoas, que os quizessem comprar para com o dinheiro delles se cumprir com André Ximenes. Madrid por Diogo Flamengo 1721. fol.

Memorial de la preferencia que haze el Reino de Portugal y su Consejo al de Aragon, y de las dòs Sicilias. Lisboa por Giraldo da Vinha 1627. 4. Esta obra posthuma offereceo seu filho Miguel de Vasconcellos a D. Affonso Furtado de Mendoça Arcebispo de Braga nomeado de Lisboa, Conselheiro de Estado, e Governador do Reino. Faz duplicada memoria de Pedro Barbosa de Luna, meu irmaõ D. Jozé Barbosa nas

Mem. do Colleg. Real de S. Paulo. p. 102. §. 43. e no Archiathen. Lusit. p. 21.

Ut sint Barbosae veneranda oracula juris

Verba fluent valido dulcis quae flumina linguae

Sufficiet mentem quod sanguine junctus eodem

Instruat insignis Barbosa agnomine Petrus.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]