Fr. PEDRO DA CRUZ SUZARTE, natural da Villa de Abrantes do Bispado da Guarda, teve por Pays a Pedro Fernandes Loureiro, e Maria Suzarte. Foy admitido a Carmelita Calçado no Real Convento de Lisboa a 17 de Julho de 1610, e fez a profissaõ solemne a 25 do dito mez do anno seguinte. No Collegio de Coimbra estudou as Sciencias escolasticas, e sendo aprovado para Prégador, e Confessor dictou Theologia Moral no Convento de Torres-Novas, onde foy duas uezes Prior, e depois Commissario da Ordem Terceira no Convento de Camarate, e ultimamente exercitou este mesmo ministerio em Lisboa, onde falleceo no anno de 1678. Delle fazem memoria Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 2. p. 150. col. 1 . e p. 667. col. 1 . e Fr. Manoel de Sá Memor. Hist. dos Escrit. da Prov. do Carm. de Portug. p. 440. Compoz

Regra, e Constituiçoens para os Irmãos, e Irmaãs da Terceira Ordem da Penitencia de N. S. do Carmo. Lisboa por Antonio Alvares 1644. 8. & ibi por Joaõ da Costa. 1670. 8. & ibi por Miguel Manescal 1685. 8.

Instruçaõ geral para o caminho da perfeiçaõ illustrada com variedade de conceitos para as Festas de N. S., Santos, e outros Sermoens. Lisboa por Domingos Lopes Rosa 1650. 4.

Breve exercicio espiritual para bem viver. Lisboa por Henrique Valente de Oliveira. 1659. 8.

Exercicio espiritual para bem morrer. ibi pelo dito Impressor 1661. 8.

Tresladaçaõ do V. Padre Fr. Estevaõ da Purificaçaõ da Villa de Moura com addiçoens espirituaes em que ocupou o tempo, maravilhas, que obrou, veneraçaõ que se póde dar à sua imagem, e reliquias: doze Cartas a pessoas  difererentes. Ibi pelo dito Impressor. 1662. 8.

Jardim de varias, e cheirosas flores que produzio, e criou o Monte do Carmo regadas com as mysteriosas fontes de Elias, crecidas com as influencias da divina Aurora Maria. Lisboa por Joaõ da Costa 1671. 8.

Officium parvum Christi Domini piissimi generis humani Redemptoris recitandum in particulari pro devotione. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]