Fr. PEDRO LAGARTO, natural da Villa de Setubal, donde partindo com seus Pays para comprimento de hum voto que por seu respeito fizeraõ á Ermida de Nossa Senhora da Arrabida, taõ suavemente se deixou atrahir daquelle sitio, que esquecido do amor paternal o elegeo para habitaçaõ perpetua servindo aos seus austeros moradores em habito de Donato. Conhecendo o seu espirito o V. Fr. Martinho de Santa Maria primeiro Fundador da Provincia da Arrabida o admetio a ella no anno de 1540, onde feita a profissaõ solemne se empenhou a ser exemplar dos seus domesticos, assim na observancia do instituto, como no excesso das penitencias. Mandado estudar em Salamanca as Sciencias necessarias para o pulpito as aprendeo com tanto disvelo que logo foy capaz de as ensinar sendo todo o seu disvelo despertar com clamores evangelicos as almas sepultadas no lethargo da culpa. Eleito Provincial no anno de 1576, emendou os defeitos com prudente dissimulaçaõ, e conservou o primitivo rigor do instituto com summa exaçaõ. No tempo que era Comissario Visitador da Provincia da Piedade, sucedeo que ElRey D. Sebastiaõ entrasse no Convento situado no Cabo de S. Vicente que he desta Provincia, e como conhecesse as virtudes de que era ornado, quiz que lhe lançasse o habito militar da Ordem de Christo, de que era Graõ Mestre, e nas suas mãos professou. Como a Provincia da Arrabida tinha crecido a sombra augusta do Infante D. Luiz naõ podia dissimular que se negasse a Coroa Portugueza a seu filho o Senhor D. Antonio, chegando muitas vezes a increpar publicamente a injusta ambiçaõ com que pertendia Filippe Prudente a sua posse. Deste fiel zelo para a sua patria se originou o ser desterrado para o Convento de Alcobaça, onde passados sete mezes falleceo placidamente a 28 de Julho de 1590, quando contava 66 annos de idade, e 50 de Religiaõ. O seu corpo depois de passados vinte annos que jazia na Capella mór de Alcobaça, foy achado incorrupto exhalando suavissimo cheiro. Delle fez larga memoria Fr. Antonio da Piedade. Chron. da Prov. da Arrabid. Part. 1. liv. 4. cap. 23. Compoz

Summa utilis omnium notabilium, quae in postilla Hugovis Cardinalis super utrumque Testamentum continentur. M. S. Fallando desta obra o Chronista allegado §. 858. diz. A nossa muita pobreza o privou da gloria da estampa, e o descuido que os antigos tiveraõ em o guardar fez tambem com que o tempo o consumisse.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]