PEDRO SALGADO, natural da Villa de Peniche do Patriarchado de Lisboa. Com o posto de Soldado militou valerosamente em a Provincia do Alentejo nos annos de 1644 e 1645 celebrando em verso, e proza os triunfos que as nossas armas alcançavaõ das Castelhanas. Naõ sómente este assumpto lhe ocupou a penna, mas em outros escreveo com estylo jocoso sem degenerar em pueril, como se lè nas seguintes obras, que publicou.

Theatro do mundo. Comedia Moral jocosa com huma relaçaõ da preza, que os Maltezes fizeraõ na May do Graõ Turco. Lisboa por Domingos Lopes Rosa 1645. 4.

Dialogo gracioso dividido em 3 Actos, que contem a entrada, que o Marquez de Tarracusa General de Castella fez na Campanha da Cidade de Elvas tratando de a conquistar, e o Forte chamado Santa Luzia junto á dita Cidade, e retirada que fez de Badajòs com perda de muita gente sua, e reputaçaõ. Lisboa por Paulo Crasbeeck. 1645. 4.

Relaçaõ verdadeira da entrada que fez em Castella Fernaõ Martins de Ayala Tenente da Companhia de Manoel da Gama Lobo Capitaõ de Cavalos na Villa de Campo mayor acompanhando-o sómente nove soldados, e da preza, que fizeraõ trazendo prizioneiro o Conde Sanguen General da Cavallaria que vinha ser. Ibi pelo dito Impressor 1645. 4.

Hospital do mundo. 2. Part. do Theatro delle. Lisboa pelo dito Impressor 1646. 4.

Relaçaõ das Festas que na Cidade de Lisboa se fizeraõ na restituiçaõ do Principe D. Carlos II. aos Reinos de Gran Bretanha com a descripçaõ de Inglaterra em diversa casta de Verso Portuguez. Lisboa por Henrique Valente de Oliveira 1660. 4.

A mayor gloria de Portugal, e affronta mayor de Castella. Comedia Politica, que contem a verdade de tudo o sucedido na Campanha do Alentejo do anno de 1663, e a gloriosa Restauraçaõ da Cidade de Evora. Lisboa sem ano de impressaõ, e nome de Impressor.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]