P. PEDRO DE SOUSA, natural de Villa-Nova de Portimaõ em o Reino do Algarve, donde passando á Corte de Madrid, como lhe agradasse o instituto dos Clerigos Menores de que foy Fundador o Ven. Agostinho Adorno novamente introduzido naquella Corte o abraçou para ser hum dos seus mais estimaveis filhos. A prudencia, e talento de que o ornou a natureza o fizeraõ digno para que consumados os estudos escolasticos fosse eleito Mestre dos Noviços, Preposito de diversas Casas em Hespanha, Presidente por duas vezes em Capitulos Geraes. Todo o tempo que lhe restava das obrigaçoens religiosas o dedicava á liçaõ dos livros asceticos, e obras dos Santos Padres, como tambem na Arte da Pintura, de cujo primoroso pincel deixou muitos quadros, que se vem com grande admiraçaõ no Collegio de Salamanca. O zelo de conservar a Religiaõ na sua primitiva observancia o obrigou usar de severidade para com os subditos sendo summamente afavel para os estranhos, donde procedia receber generosos donativos com que sustentava todas as casas do seu instituto. Orava mentalmente de joelhos huma hora de manhã, e outra de noite, cujo santo exercicio naõ interrompia, ainda quando fazia jornada. Foy taõ exacto cultor da pobreza que nunca, ainda sendo Superior, tinha em seu poder o dinheiro que recebia de esmola dizendo, que a elle sómente pertencia a sua distribuiçaõ, e naõ a posse. Cahindo enfermo de asma a 7 de Janeiro de 1626 tolerou pelo espaço de seis mezes os violentos ataques de taõ penoso achaque com heroica constancia, até que chegando 10 de Junho recebidos os Sacramentos partio a receber o premio prometido aos Justos em o Convento de Sevilha, quando contava a provecta idade de 92 annos. Delle faz honorifica memoria Jorge Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 3. p. 621. e Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 2. p. 194. col. 2. Compoz

Super Psalmos Davidis volumina duo. fol. M. S. Conservaõ-se no Collegio de Salamanca da sua Ordem. Desta obra faz mençaõ Cardoso assima allegado pag. 622.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]