Fr. AFFONSO DA CRUZ natural do lugar do Fundão do território da Villa da Covilhã na Provincia da Beyra, professou no Real Convento de Alcobaça o ilustre habito da Ordem de Cister no anno de 1574 onde pea integridade de seus costumes, e pela religiosa observância dos institutos foy eleyto Mestre dos Noviços, ministério, que exercitou em diversos Conventos da sua Congregação, até que no anno de 1600 foy assumpto ao Generalato, cujo lugar aceitou constrangido, e administrou vigilante. Morreo piamente em Alcobaça no anno de 1626, e foy sepultado na casa Capitular. O seu Retrato se vê pintado no Antecoro do Real Convento de Alcobaça entre os Varoens ilustres da Ordem. No tempo, que tinha vago das occupaçoens domesticas se aplicava para proveito dos próximos na composição de algumas obras ascéticas, de que são claros argumentos as seguintes: Espelho de perfeição colhido da doutrina de alguns Santos Padres antigos, e outros Varoens contemplativos, em o qual se contem quatro Tratados: o 1 da vida activa; o 2 da vida contemplativa, o qual se divide em quatro partes, a 1 trata da oração, meditação e contemplação, e 2 os meyos por onde se alcança a graça na comtemplação; a 3 Dezejos della; a 4 dos impedimentos, o 3 Tratado consta da união da alma com Deos, i 4 das três vias, Purgativa, Illuminativa, e Unitiva. Lisboa, por Pedro Craesbeeck, 1615, 8. Espelho de religiosos em o qual vendose, e compondo-se as pessoas religiosas poderão com o favor divino chegar com facilidade à perfeição: Lisboa, pelo mesmo Impressor, 1621, 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, Historica, Critica e Chronologica, vol. 1]

 

FR. AFFONSO DA CRUZ, Monge Cisterciense da Congregação de S. Maria d’Alcobaça, cujo instituto professou no anno de 1574. Foi eleito Geral da mesma em 1600, e morreu avançado em annos no de 1626. Barbosa o faz natural do Fundão; mas o chronista Fr. Manuel de Figueiredo affirma expressamente que elle era de Alemquer. – E.

46) (C) Espelho de perfeição colhido da doutrina de alguns Sanctos Padres antigos e outros varões contemplativos: em o qual se contém quatro tractados etc. Lisboa por Pedro Craesbeeck 1615. 8.º.

47) (C) Espelho de Religiosos em o qual vendo‑se, e compondo‑se as pessoas religiosas poderão com o favor divino chegar com facilidade á perfeição. Lisboa, por Pedro Craesbeeck 1622. 4.º de X‑306 folhas numeradas de uma só parte. A Bibl. Lus. e o Catalogo da Academia referem erradamente esta edição ao anno de 1621, o que é falso, segundo vejo do exemplar que possuo.

Os exemplares de qualquer das duas obras são pouco communs.

 

[Diccionario bibliographico portuguez, tomo 1]