Ana Paula Ribeiro Tavares nasceu em Lubango, Huila (Angola), a 30 de Outubro de 1952. Obteve o seu bacharelado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Luanda em 1973. Formou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1982, com um Mestrado em Literatura Africana pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1996. Doutorada em Antropologia (Etnografia) pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com uma tese intitulada História, Memoria e Identidade: Estudo sobre as sociedades e Lunda e Cokwe de Angola.

É coordenadora do Grupo de Investigação 2 do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (Culturas e Literaturas e Culturas Africanas de Língua Portuguesa) e professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Nos últimos anos tem desempenhado diversas actividades profissionais: foi professora de História em Angola desde 1973; delegada do Ministério da Cultura no Kwanza-Sul, Angola, de 1978 a 1980; Técnica Superior do Museu Nacional de Arqueologia, em Benguela, Angola, de 1980 a 1983; Directora Nacional do Património Cultural em Luanda, de 1985 a 1987; Directora do Gabinete Técnico da Secretaria de Estado da Cultura, em Luanda, de 1987 a 1991; Professora Assistente da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, de 1994 a 2000, entre outros cargos.

Participou em inúmeros encontros científicos nacionais e internacionais (conferências, seminários e workshops) e integrou comissões, nomeadamente a Comissão de Reestruturação da Universidade Agostinho Neto, a Comissão para a reestruturação do Ministério da Cultura e para a preparação de uma proposta para a criação do Ministério da Cultura de Angola e a Comissão para preparação do projecto para fundação de uma Faculdade de Ciências Sociais em Angola, bem como participou em inúmeros projectos de investigação científica, como o projecto “As Histórias e as Culturas africanas na formação dos estudantes de graduação e pós-graduação” (parceria entre o Centro de Ciências Humanas da Universidade Federal do Maranhão e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa – Edital FAPEMA n.º 036/2017) ou o projecto “Kongo-Teke”, projecto multidisciplinar e regional (envolvendo os países africanos parte do antigo Reino do Congo, coordenado pelo C.I.C.I.B.A. – Centro Internacional de Civilizações Bantu), participou em campanhas arqueológicas no Lubango e Namibe (1970-1973); em Benguela (1980,1981,1983); e no Crato (1981,1982)

É autora de várias publicações científicas e de obras literários, nomeadamente poesia, crónicas e romance. Foi distinguida com o Prémio Nacional de Literatura de Angola, com o Prémio Literário Mário António, da Fundação Calouste Gulbenkian (2004), com o Prémio Nacional de Cultura e Arte, em Literatura (Luanda, 2007) e com o Premio Internazionalle Ceppo/Pistoia, Firenze (2013).

Integrou diversos júris de prémios, como o do Prémio Internacional de Investigação Histórica Agostinho Neto, 2016; Prémio Casino da Póvoa-Correntes de escritas, anos 2006, 2007, 2011 e 2015; Prémio ENSA de Pintura em 1990, Luanda, Angola; Prémio Saramago (2007-2017) e o do Prémio Camões (2011 e 2012, 2017 e 2018).

De salientar a sua participação no filme Cartas para Angola (2011), dirigido por Coraci Ruiz e Júlio Matos. Trata-se de um documentário notável construído entre os dois lados do Atlântico, focando Brasil, Angola e Portugal.

 

Publicações de textos de criação literária: 

2016: Publicação, em colaboração com Manuel Jorge Marmelo, Ondjaki e Paulinho de Assunção de Verbetes para um dicionário afectivo, Lisboa, Caminho, 2016.

2014: Publicação online de uma crónica semanal na plataforma Rede Angola.

2010: Publicação do Livro de Poemas Como Veias Finas na Terra, Editorial Caminho.

2007: Publicação do Livro de Poemas Manual para Amantes Desesperados, Caminho.

2005: Publicação do Romance Os Olhos do Homem que Chorava no Rio, em parceria com Jorge Marmelo, Caminho.

2004: A Cabeça De Salomé, (crônicas), Lisboa, Caminho.

2000-2004: crônica mensal: Jornal Público.

2003, poesia: Ex-Votos, Lisboa, Caminho

2001, poesia: Dizes-me Coisas Amargas Como os Frutos, Lisboa, Caminho.

1999: poesia: O Lago da Lua, Lisboa, Caminho.

1998: crónicas: O Sangue da Buganvília, Praia, Centro Cultural Português, Embaixada de Portugal.