SEBASTIAÕ DA COSTA, natural do lugar de Azeitaõ do Patriarcado de Lisboa, Cavalleiro professo da Ordem de Christo, Escrivaõ da Cozinha Real, e Mestre da Capella dos Serenissimos Monarcas D. Affonso VI., e D. Pedro II. Naõ sómente foy insigne Compositor de Musica, como testemunhaõ as obras que desta armonica Faculdade compoz, mas admiravel Musico, cuja sonora voz de contralto arrebatava suavemente os animos dos ouvintes. Sentio com tal excesso a morte do Serenissimo Rey D. Joaõ IV. que deixando a Capella real se auzentou para a Campanha, em que se disputava a liberdade desta Coroa, e considerando a Serenissima Rainha D. Luiza Francisca de Gusmaõ a falta que fazia na Capella a voz de hum taõ grande Cantor o mandou chamar, e preguntando-lhe a cauza da sua auzencia lhe confessou que naõ tivera animo para cantar, mas sim para chorar amargamente depois que lhe morrera o seu adorado Principe, a cuja reposta satisfez a prudentissima Heroina dizendo-lhe. Cantad en la Capilla, que el llorar dexad voz  para mi. Foy dotado de summa generosidade da qual deu hum manifesto argumento na ocaziaõ que a Senhora D. Maria, filha natural de D. Joaõ IV. foy aos banhos das Caldas acompanhada de muita nobreza a qual sustentou á sua custa com magnifica profusaõ. Faleceo em Lisboa a 9 de Agosto de 1696. Jaz sepultado no Convento do Carmo. Compoz

Psalmos das Completas a 8 vozes.

Missa a 8 vozes.

Missa de Estante a 4.

Duas liçoens de Defuntos a 4. e 8.

Motetes varios a 4.

Miserere a 8 vozes.

Vilhancicos do Natal, Reys, Conceiçaõ, e Sacramento a 4. 6. e 8.

Todas estas obras se conservaõ na Bibliotheca real da Musica, e muitas dellas em poder dos curiosos da Musica.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]