Affonso Celso de Assis Figueiredo, 2.º- Filho do precedente e de dona Francisca. de Paula de Assis Figueiredo, nasceu em Ouro-Preto, capital da provincia de Minas-Geraes, a 31 de março de 1860.

Matriculando-se na Faculdade de Direito em 1875, com permissão do parlamento por não ter a idade legal, mas perdendo este anno por molestia, nesta faculdade recebeu o grao de bacharel em novembro de 1880, e o de doutor em março do anno seguinte; neste mesmo anno, de 1881, foi eleito deputado geral pelo 20º districto de sua provincia, e deu-se ao exercicio da advocacia na côrte do imperio.

Foi o doutor Affonso Celso quem fundou em S. Paulo a sociedade mineira de beneficencia academica, de que é presidente honorario.

Desde 1874, com quatorze annos de idade, se preoccupa com lettras e tem escripto:

Um capricho do doutor Ox: traducção de Julio Verne. Rio de Janeiro, 1874 – Além de ser publicado em volume, foi tambem na Reforma.

Preludios: poesias. S. Paulo, 1875.

Devaneios: poesias. S. Paulo, 1877.

– Telas sonantes: poesias. S. Paulo, 1879.

Poemetos: S. Paulo, 1880 – Contém este volume tres poemetos: Affronta, O filho das selvas, Um homem. Dedica-os o autor a tres collegas seus: Ernesto Alves de Oliveira, João de Barros Cassal e Zeferino de Faria Filho, ao abraçal-os se separando dos bancos da academia.

– Exposições industriaes: conferencia feita na escola da Gloria. Rio de Janeiro, 1876.

– ?: drama em tres actos. S. Paulo, 1879 – Foi representado no theatro desta capital pela empreza da actriz Ismenia.

Camões: edição commemorativa do centenario de Camões (10 de  Junho de 1880). S. Paulo, 1880.

– Theses e dissertação sustentadas, etc., afim de obter o grão de doutor. S. Paulo, 1881

– Orçamento do ministerio dos negocios estrangeiros: discurso proferido na camara dos deputados. Rio de Janeiro, 1882.

– A administração do ex-ministro da fazenda do gabinete de 5 de Janeiro: discurso proferido na camara dos deputados. Rio de Janeiro, 1882.

– Direito e lettras: revista academica do atheneu juridico e litterario. Parte juridica, director Tristão da Fonseca. Parte litteraria, director Affonso Celso Junior. S. Paulo, 1878. Dous volumes.

O doutor Affonso Celso teve parte na redacção, e collaborou para diversos jornaes e revistas, como: a Republica, orgão do club republicano académico; a Tribuna Liberal, de S. Paulo; a Gazeta de Sorocaba; El Plata, de Buenos-Ayres; tem ineditas suas conferencias sobre o nihiilsmo,proletariato e nova esthetica, assim como:

– Uma familia da moda: romance – Este livro deve-se achar no prelo, a julgar pela declaração que faz a Gazeta de Noticias da côrte de 24 de janeiro deste anno, de que – brevemente vamos ter o romance.

 

[Augusto Victorino Alves Sacramento Blake, Diccionario Bibliografico Brazileiro, vol. 1]