P. SEBASTIAÕ VIEIRA. Naceo na Villa de Castro Dairo do Bispado de Lamego a 20 de Janeiro de 1572, sendo filho de André Vieira, e Filippa Lopes. Na idade de 17 annos abraçou o instituto da Companhia de Jesus a 3 de Fevereiro de 1591. Instruido nas sciencias escolasticas em o Collegio de Evora partio com huma esquadra de sincoenta e oito Missionarios para a India Oriental, e chegando a Goa, como achasse monçaõ prompta para Macáo, nesta Cidade exercitou o lugar de Mestre dos Noviços, e de Procurador da Provincia pelo espaço de tres annos. Anhelando o seu espirito a mayor esfera navegou para o Japaõ, onde como dominasse Dayfusama obstinado inimigo da Religiaõ Christã, foy expulso com outros Missionarios para Manilha no anno de 1614, porém mudando de traje segunda vez se introduzio naquelle Imperio para fortificar as novas plantas ainda pouco radicadas no campo da Igreja Catholica. Mandado por Procurador geral daquella tyramnizada Provincia a Roma no anno de 1623 consumio quatro annos nesta jornada, até que chegando á Curia no anno de 1627, foy recebido do seu Geral, e da Santidade de Urbano VIII. com demonstraçoens de grande estimaçaõ. De Roma voltou a Portugal, onde formada outra esquadra de quarenta e hum Missionarios partio segunda vez para o Oriente no anno de 1629. Chegando a Goa partio sem demora para o Japaõ destinada baliza de seus apostolicos trabalhos, e fazendo viagem de Macáo a Manilha, e della ao Japaõ foraõ innumeraveis asP. SEBASTIAÕ VIEIRA. Naceo na Villa de Castro Dairo do Bispado de Lamego a 20 de Janeiro de 1572, sendo filho de André Vieira, e Filippa Lopes. Na idade de 17 annos abraçou o instituto da Companhia de Jesus a 3 de Fevereiro de 1591. Instruido nas sciencias escolasticas em o Collegio de Evora partio com huma esquadra de sincoenta e oito Missionarios para a India Oriental, e chegando a Goa, como achasse monçaõ prompta para Macáo, nesta Cidade exercitou o lugar de Mestre dos Noviços, e de Procurador da Provincia pelo espaço de tres annos. Anhelando o seu espirito a mayor esfera navegou para o Japaõ, onde como dominasse Dayfusama obstinado inimigo da Religiaõ Christã, foy expulso com outros Missionarios para Manilha no anno de 1614, porém mudando de traje

segunda vez se introduzio naquelle Imperio para fortificar as novas plantas ainda pouco radicadas no campo da Igreja Catholica. Mandado por Procurador geral daquella tyramnizada Provincia a Roma no anno de 1623 consumio quatro annos nesta jornada, até que chegando á Curia no anno de 1627, foy recebido do seu Geral, e da Santidade de Urbano VIII. com demonstraçoens de grande estimaçaõ. De Roma voltou a Portugal, onde formada outra esquadra de quarenta e hum Missionarios partio segunda vez para o Oriente no anno de 1629. Chegando a Goa partio sem demora para o Japaõ destinada baliza de seus apostolicos trabalhos, e fazendo viagem de Macáo a Manilha, e della ao Japaõ foraõ innumeraveis as treiçoens dos Gentios, de que evadio, e os horrorosos perigos, que venceo até ser prezo junto das prayas de Ozaca, de cuja noticia certificado o Emperador ordenou que fosse levado a sua Corte de Yendo. Logo que chegou a ella vestio a roupeta de Jesuita, usando até aquelle tempo de traje secular, para mais claramente prégar a Fé que professava, pela qual foy condenado ao horrivel tormento das covas em que durou vivo tres dias, e para que com a vida se extinguisse o seu cadaver se lhe lançou grande quantidade de lenha donde voou o seu espirito a coroarse na eternidade gloriosa a 6 de Junho de 1634, quando contava 62 annos de idade, e 43 de Religiaõ. Delle se lembraõ com honorificos titulos Bib. Societ. pag. 737. col. 1. Cardoso Agiol. Lusit. Tom. 3. p. 568. e no Coment. de 6 de Junho letr. 1. Rho Hist.  virt. & vit. lib. 1. cap. 1. & lib. 2. cap. 5. Guerreiro Coroa dos esforç. Sold. Part. 4. cap. 65. até 68. Nieremb. Hist. de Var. illust. Tom. 4. pag. 296. Joan. Soar. de Brito Theatr. Lusit. Litter. lit. S. n. 14. Nadasi Ann. dier. memor. S. J. Part. 1. p. 300. col. 2. Cardim Elog. dos Marty. da Comp. p. 2I5. e no Fascic. è Jap. florib. p. 213. Escreveo

Annuae litterae ex Japonia 16 Martii 1613. Romae apud Bartholamaeum Zanetti 1617. 8.

Relaçaõ da viagem que fez de Macáo a Manila, e de Manila ao Japaõ escrita em o Japaõ a 18 de Fevereiro de 1633. Sahio impressa em o 1. Tom. da Imag. da Virt. do Nov. de Coimb. composta pelo P. Antonio Franco desde pag. 156. até 187. comprehende 8 Capitulos.

Duas cartas escritas do Carcere de Yendo a 7 de Abril de 1634. A 1 para o Padre Gonçalo da Sylveira, e a 2 a Vicente Tavares. Estaõ impressas na Imag. Da Virtud. assima allegada p.188. e 189. e na Coroa dos esforç. Sold. Part. 4. cap. 67. Sahiraõ traduzidas em Latim pelo P. Mathias Taner Societas Jesus usque ad sang. & vitae profusion. militans. p. 378. e na lingoa Franceza pelo P. Joaõ Crasset. Hist. du Jap. Tom. 2. liv. 20. § 10.

Compendio da Fé Catholica, escrito em lingoa Japoneza estando prezo no Carcere, e mandado ao Emperador. Desta obra faz mençaõ seu Author na carta escrita a Vicente Tavares, da qual assima se fez mençaõ, e delle a fazem Cardim Elog. dos Martyr. da Comp. p. 215 . e Nadafi Ann. dier. mem. Part. 1. p. 301. col. 1.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]