P. SEBASTIAÕ DE MATOS, E SOUSA, natural da Villa de Aldegallega da Provincia Transtagana, e filho de Francisco Rodrigues de Sousa, e Antonia Simoa. Estudadas as letras humanas, e divinas recebeo as Ordens de Presbitero, e como tivesse genio para o pulpito exercitou o ministerio de Orador Evangelico por muitos annos com grande aplauso. Pela prudencia do seu talento o elegeo para Secretario o Excellentissimo Duque do Cadaval D. Nuno Alvares Pereira de Mello, cuja incumbencia dezempenhou, como delle se esperava. Para claro argumento dos dotes scientificos que possuia, bastava o epistolar comercio que teve com o grande Padre Antonio Vieira por muitos annos, cujas cartas se lem impressas nas que se publicaraõ deste insigne Varaõ. Deixando o seculo se recolheo á Congregaçaõ do Oratorio de Lisboa, onde recebeo a roupeta a 3 de Junho de 1697. Nesta virtuosa Palestra se exercitou em todos os actos que conduzem á eterna felicidade do qual foy tomar posse a 21 de Junho de 1721, quando contava idade muito provecta. Dos Sermoens que prégou quando era secular, publicou os seguintes.

Sermaõ de S. Joaõ Bautista prégado na Igreja de Santo Estevaõ de Alfama a 4 de Agosto de 1680. Lisboa por Miguel Manescal 1681. 4. e Coimbra por Joaõ Antunes 1693. 4.

Sermaõ do glorioso Patriarcha S. Jozé Espozo da Mãy de Deos prégado na Igreja do Convento da Esperança em 19 de Março de 1682. ibi por Joaõ Galraõ. 4.

Sermaõ dos Principes dos Apostolos S. Pedro, e S. Paulo na Igreja de S. Juliaõ em 5 de Julho de 1683. ibi por Miguel Manescal 1683. 4.

A semelhante á semelhança do Ceo Santa Engracia. Panegyrico no dia da sua Festa na Igreja do Paraizo de Lisboa na Dominga segunda depois de Paschoa no anno de 1684. Lisboa por Joaõ Galraõ 1684. 4.

A vaidade do homem convencida em sinco discursos moraes nas Tardes das sinco Domingas de Quaresma de S. Paulo de Lisboa 1680. Lisboa por Miguel Deslandes 1685. 4.

Sermaõ da Santissima Trindade prégado na Igreja do Hospital real de Lisboa na festa da Irmandade dos Clerigos pobres da Charidade, em 11 de Junho de 1691. ibi por Miguel Manescal. 1692. 4.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]