P. SEBASTIAÕ DA MAYA, natural de Lisboa, e filho de Dionisio da Maya, e Jeronymo de Freitas. Abraçou o instituto de Jesuita em o Noviciado de Coimbra no primeiro de Mayo de 1613, quando contava quatorze annos, e tres mezes de idade. Foy insigne nas letras humanas como manifestou sendo Mestre de Rhetorica em Coimbra. Teve memoria taõ monstruosa que nella conservava as obras de Virgilio, Horacio, Claudiano, Estacio, e Sanazaro; Cicero, Quintiliano, Salustio, Quinto Curcio, e Suetonio. Ao tempo que estava nomeado para dictar Escritura na Universidade de Evora, impellido do zelo da conversaõ das almas deixou os aplausos academicos, e se entregou aos perigos da navegaçaõ sahindo de Lisboa embarcado na Capitania Nossa Senhora da Oliveira, de que era Capitaõ Joaõ de Mello, e aportou felizmente a Goa. Foy Provincial do Japaõ, e China, e Visitador no anno de 1656. Falleceo na Cidade de Macáo a 16 de Junho de 1664. Compoz

India Christiana. Instructiones morales pro casibus concientiae apud Indos utriusque orbis occurrentibus. Escrito no anno de 1645. M. S.

Segredos da Oraçaõ extrahidos da summa Espiritual do Padre Gaspar Figueira da Companhia de Jesus. M. S.

Exercicios de outo dias postos em praxe, e ordem facil para se poderem tomar cada anno. Traduçaõ de Francez do Padre Paulo Barry Jesuita. M. S.

Vida do Padre Vicente Carafa da Companhia de Jesus. Traduçaõ de Francez. Todas estas obras se conservaõ no Cubiculo do Padre Assistente de Portugal na Casa professa de Roma.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]