SIMAÕ DE OLIVEIRA DA COSTA, natural da Villa de Castello-Branco da Provincia da Beira, filho de Manoel de Oliveira de Vasconcellos, e de sua segunda mulher D. Helena da Costa de Lemos. Formado na Faculdade de Direito Cesareo em a Universidade de Coimbra servio os lugares de Juiz de Fóra de Mertola, Juiz do Crime em Lisboa, Provedor de Lamego, Juiz do Tombo da Coroa, donde passou a Desembargador da Relaçaõ do Porto, e della foy transferido á Casa da Suplicaçaõ, de cujo lugar tomou posse a 22 de Dezembro de 1657, e dos Aggravos a 10 de Julho de 1666. Foy aposentado por elle o pedir, em Deputado da Mesa da Consciencia, e Ordens com ordenado, e propinas. Falleceo quando contava 69 annos de idade, jaz sepultado no Convento de N. S. da Graça de Lisboa até ser transferido para o jazigo que tem na Igreja Matriz de Castello-Branco. Foy insigne Humanista, e elegante Poeta. Compoz

De munere Provisoris praticum compendium. Ulysipone apud Joannem da Costa. 1670. 4. & ibi apud Dominicum Carneiro. 1670. fol. cum additionibus ejusdem authoris, & Conimbricae apud Ludovicum Seco Ferreira. 1732. fol.

Poezias Portuguezas, e Castelhanas. 10. Tomos. 4. Conservavaõ-se em poder de seu filho o Doutor Luiz de Oliveira da Costa, Deputado da Mesa da Conciencia. Fazem memoria de Simaõ de Oliveira, Ignacio Pereira de Revison. cap. 55. n. 3. Guerreiro de Invent. p. 124. n. 12. Pegas in addit. ad Ord. Reg. p. 257. ad Tit. 9. e Paiva Orphanol. Pract. p. 18. n. 74.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]