Fr. THOMAZ DE SOUSA, natural da Ponte da Barca, filho natural de Manoel de Magalhaens Senhor da Ponte da Barca, Souto de Rebordaes, e morgado de Fonte-Arcada. Querendo augmentar a nobreza da sua origem procurou a adopçaõ do grande Patriarcha S. Domingos mayor tymbre da esclarecida Casa dos Gusmaens, professando o seu instituto no Real Convento de Lisboa a 8 de Março de 1548. Nesta sabia palestra sahio taõ versado nas sciencias escolasticas, e intelligencia das sagradas Escrituras, que ElRey D. Sebastiaõ o nomeou seu Prégador, e a Rainha D. Catherina augusta Avó daquelle Monarca, conhecendo a prudencia do seu talento o elegeo director da sua Conciencia. Estimulado hum Palaciano da liberdade apostolica com que Fr. Thomaz reprehendia os vicios lhe fixou na porta do seu apozento estas palavras. Aqui mora Fr. Thomaz, que bem o diz, e mal o faz. Para se despicar desta satyrica mordacidade escreveo na parte inferior do papel em que estavaõ escritas as palavras assima relatadas. Fazey vós o que elle diz, e naõ façaes o que elle faz. Sahindo eleito Provincial no anno de 1578 naõ exercitou o lugar por anullar esta eleiçaõ o Cardeal D. Henrique, que neste tempo era Legado a Latere, e se elegeo o Mestre Fr. Antonio de Sousa que depois subio á Cathedral de Viseu. Celebraõ o seu nome Altamura Bib. Dom. p. 347. col. 2. Fr. Ant. de Sena. Bib. Fratr. Praed. pag. 328. Joan. Soar. de Brito Theatr. Lusit. Litter. lit. 3. n. 14. Echard Script. Ord. Praed. Tom. 2. p. 213. col. 2. Nic. Ant. Bib. Hisp. Tom. 2. p. 252. e 311. Sousa Hist. de S. Doming. da Prov. de Portug. Part. 3. liv. 1. cap. 2. Monteiro Claustr. Dom. Tom. 1. p. 120. e Tom. 3. p. 319. Faria Europ. Portug. Part. 4. cap. 6. O celebre Poeta Diogo Bernardes seu contemporaneo lhe escreve a 10 carta do seu Lima. Começa.

Divino Preceptor da Ley divina

Thomaz, que ao graõ Thomaz vás imitãdo

Na vida, na profissaõ, e na doutrina.

Que duro coraçaõ, que animo fero

Te poderá ouvir que naõ se abrande!

Eu já desde que te ouvi, só isso quero.

O soberbo em seus mancos se desmande

Descubra o cobiçoso novas minas

Cada hum a seu gosto viva, e ande.

He esta por ventura a ley que ensinas?

Naõ mostras tu ser tudo vaidade

Fora do amor do Ceo em que te afinas?

Bem prégas a verdade de verdade

Bem de verdade guardas quanto prégas

Os olhos sempre em Deos sempre á vontade, &c.

Compoz

Commentaria in Prophetas Oseam, & Joelem. fol. M. S.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]