D. VICENTE MEXIA, naceo em Lisboa a 5 de Abril de 1714, sendo filho de Joaõ de Matos Mexia, e D. Josefa Maria da Cruz. Instruido na lingoa Latina, e letras humanas passou á Universidade de Coimbra para estudar Direito Pontificio, porèm deixando o aplauso academico, que lhe prometia o seu penetrante engenho, abraçou o instituto dos Clerigos Regulares Theatinos recebendo a roupeta a 13 de Mayo de 1731, e professando solemnemente a 14 de Setembro do anno seguinte nas maõs do Padre D. Manoel Caetano de Sousa Procomissario da Bulla da Cruzada, e Censor da Academia Real da Historia Portugueza. Acabada a carreira das sciencias Escholasticas sahio nellas taõ insigne que logo lhe foy concedida patente de Lente de Theologia. No pulpito encheo as obrigaçoes de Orador Evangelico, sendo os seus discursos discretos, e elegantes. Da Poesia Latina, e vulgar foy engenhoso professor como publicaõ alguns versos em louvor de diversos Authores, onde modestamente ocultou o seu nome. Falleceo com geral sentimento na florente idade de 37 annos incompletos a 10 de Dezembro de 1751. Traduzio da lingoa Latina de Fr. Blyth em a materna.

Oraçaõ funebre nas solemnes exequias do Augustissimo Senhor D. Joaõ V. Rey Fidelissimo celebradas em Londres na Capella dos Ministros de Portugal. Lisboa por Miguel Manescal da Costa 1751. 4.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]