FELICIANO DE OLIVA E SOUSA natural do lugar do Tojal situado em o Conselho de Satam distante tres legoas para o Nacente da Episcopal Cidade de Vizeu onde teve por pays a Feliciano de Oliva, e Catherina de Souza igualmente virtuosos, e opulentos. Tendo aprendido as letras humanas se applicou ao estudo do Direito Pontificio em a Universidade de Coimbra, em que recebeo o gráo de Doutor com grande applauzo dos Cathedraticos. A integridade dos costumes acompanhada da profundidade das letras o fizeraõ digno de ser Visitador, e Vigario Geral do Bispado de Elvas, donde passou a ser Auditor, e Vigario Geral da Curia Bracharense no tempo que governava esta Augusta Metropole o Illustrissimo D. Aleixo de Menezes. O mesmo ministerio exercitou no Bispado de Vizeu, quando possuia esta Mitra D. Fr. Joaõ de Portugal, e ultimamente foy Governador do mesmo Bispado por morte de seu Prelado D. Fr. Bernardino de Sena tendo a mesma occupaçaõ em o Bispado de Lamego. Querendo consagrar a Deos a fazenda, que possuia, se resolveo fundar hum Convento na sua patria para Religiosas Dominicas, e vencidas diversas difficuldades que se levantaraõ contra taõ santo intento alcançada faculdade Real em 15. de Mayo de 1638. e a Pontihcia a 27. de Mayo de 1640. se começou a habitar o Convento dedicado a N. Senhora de Oliva, em cuja Capella mór descansaõ as suas cinzas. Deixou para ornato do Templo grande copia de peças de prata, e de preciosos ornamentos satisfazendo-se unicamente em memoria de ser seu Fundador com os Suffragios annuaes da primeira Missa do Natal, a da Festa do Espirito Santo, e da Annunciaçaõ da Virgem Maria, pela sua alma. Joaõ Soar. de Brito Theatr. Lusit. Litter. lit. F. n. 5. o intitula Practica jurisprudentiae nominatisimus; vir doctus, & pius. Nicol. Ant. Bib. Hisp. Tom. 1. pag. 278. col. 2. docte quidem post innumeros disputavit de Ecclesiasticae, & saecularis potestatum viribus, concursuque. D. Franc. Manoel na Carta dos AA. Portug. escrita ao Doutor Manoel Themudo da Fonseca. Struvio Bib. Jur. select. pag. 336. Carvalho Corog. Portug. Tom. 2. Trat. 5. cap. 21. Fr. Lucas de Santa Catherina Hist. de S. Doming. da Prov. de Portug. Part. 4. liv. 2. cap. 35. Compoz

Tractatus de Foro Ecclesiae materiam utriusque potestatis spiritualis scilicet, & temporalis principaliter respiciens, in quo utriusque fori Ecclesastici, & saecularis plures quaestiones, quae, quotidie incidunt in praxim, disputantur, ac resolutionem accipiunt in tres partes divisus. Prima pars. Conimbricae apud Emmanuelem Carvalho. 1649. fol.

Pars secunda. ibi per eundem Typog. 1650. fol. No fim desta Parte promete a Terceira, a qual sahio com as duas precedentes. Coloniae Allobrogum apud Leonardum de Chovet. 1678. fol.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]