Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa

Direção:  Carlos Fiolhais e José Eduardo Franco

Com o Alto Patrocínio da Presidência da República Portuguesa

Sob a Égide da Universidade de Coimbra e da Universidade Aberta

 

APRESENTAÇÃO

Reunir, anotar criticamente e disponibilizar ao grande público as obras pioneiras escritas pela primeira vez em língua portuguesa e que funcionaram como alicerce de áreas de saber autónomo produzido na nossa língua é não só um exercício de sistematização que permite uma visão de conjunto mais alargada, mas permite-nos saber e dar a saber que em alguns campos nós portugueses também fomos pioneiros a nível internacional em algumas áreas. Este projeto científico e editorial é uma forma de superarmos o grave desconhecimento das fontes da nossa cultura e ciência, mas também de superarmos a nossa ideia de menoridade em tudo em relação à Europa, que gerou um complexo de inferioridade que ainda hoje nos afeta e nos prejudica na relação com os outros países.  Com efeito, se partimos para a relação com outro a nível cultural, científico e política com uma ideia de nós de menoridade histórica e de secundariedade cultural é meio caminho andado para ficarmos a perder em quase tudo nessa relação que implica negociação e troca. É devido a esse desconhecimento que resulta numa fraca consciência de nós e nos torna verdadeiramente provincianos no pior sentido, fazendo de nós mais diligentes em traduzir e importar o que os outros produzem em muitos planos da criação literária e do saber atual e clássico do que traduzir e exportar o que é nosso. A nossa ideia de atraso cultural e científico tecida com a nossa ideia de decadência no segunda metade do século XVIII e, especialmente com mais força na segunda metade do século XIX fez-nos perder a memória de que esse atraso não foi geral nem constante e que, muitas vezes, fomos, aliás, pioneiros e seguidos por outros povos e culturas.

A cultura dita portuguesa, que herdamos e com a qual enchemos os nossos manuais escolares, na qual se funda a nossa memória histórica e através da qual se tem desenhado a nossa ideia de identidade nacional, teve, no desaguar da Idade Média e no dealbar da Modernidade, os seus autores e obra pioneiras.

Regressar às fontes, beber nas suas águas prístinas, escavar os alicerces do património, que constitui a nossa cultura imaterial de natureza intelectual, artística e pedagógica, é uma forma de aprofundarmos o conhecimento de nós próprios enquanto comunidade cultural, enquanto povo-cultura, enquanto identidade construída e em contínua reconstrução.

Este grande projeto pretende dar a conhecer aquelas que a investigação mais recente permite apresentar como sendo as obras primeiras, fundadoras da cultura de um país com quase um milénio de história, nomeada como história portuguesa, cujas raízes são multimilenares e ainda mais fundas.

 

OBJECTIVOS

A compilação em 30 volumes das Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa tem, por base, alguns objetivos que consideramos indispensáveis, no âmbito de toda a grande cultura portuguesa:

  • Facultar em cada ensaio um saber essencial e, na medida do conhecimento de que dispomos, rigoroso e crítico, sobre as primeiras obras que fixaram por escrito conhecimento nas mais diversas áreas das Humanidades e das Ciências, na longa duração da História da Cultura Portuguesa, desde a história, a gramática, a pedagogia, passando pela filologia, a política, as ciências náuticas, as ciências ditas ocultas, a biologia, a arte e a literatura, entre outras;
  • Constituir um ponto de partida pedagógico e divulgativo para dar a conhecer e sistematizar informação resultante do progresso da investigação que, nas últimas décadas, investigadores e equipas de investigação têm operado para trazer a lume fontes inéditas e pouco conhecidas, permitindo assim rever e completar os velhos manuais de historiografia, as clássicas histórias da literatura e as enciclopédias multitemáticas da cultura e da ciência em Portugal;
  • Ser o ponto de partida para dar a conhecer um projeto em curso que, abarcando diversos campos de conhecimento, tais como a história, a pedagogia, a literatura, a pintura, a filosofia, a teologia, a geografia, a biologia, a música, pretende editar de forma atualizada as obras pioneiras da cultura portuguesa nestas diferentes áreas.

 

PRODUTO

Este projeto das Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa (Séculos XIII-XVIII) reúne 30 volumes, assumindo uma ordem cronológica na sua apresentação final. Os volumes projetados são:

  1. Primeira História de Portugal
  2. Primeiro Tratado de Pintura
  3. Primeiros textos de Educação
  4. Primeira obra de Ética cívica
  5. Primeira biografia
  6. Primeira obra sobre Europa
  7. Primeiro Manual de Formação Conjugal e das Virtudes
  8. Primeiro livro de cavalaria
  9. Primeira obra de Prosa Mística
  10. Primeiro relato de viagens de descobrimentos
  11. Primeira peça de Teatro
  12. Primeira Apologia religiosa
  13. Primeira Novela sentimental e epistolar
  14. Primeira Gramática da Língua Portuguesa
  15. Primeiro Tratado bélico
  16. Primeiro Romance
  17. Primeiro Tratado de Arquitetura
  18. Primeiro Manual de Engenharia Naval
  19. Primeira obra de Geografia e primeiro escrito ecológico
  20. Primeira Epopeia
  21. Primeira Arte poética
  22. Primeiro tratado de Botânica e Farmacopeia
  23. Primeiro Tratado de Música
  24. Primeira Tratado jurídico
  25. Primeiro Tratado de Cabala
  26. Primeiro Tratado de Física
  27. Primeiro Tratado de Matemática
  28. Primeiro Tratado Económico
  29. Primeiro Tratado gastronómico

 

ORGANIGRAMA CIENTÍFICO

Direção: José Eduardo Franco  e Carlos Fiolhais

Supervisão linguística e coordenação da edição de fontes: Aida Sampaio Lemos

Coordenação paleográfica, investigação e transcrição de fontes: Joana Balsa de Pinho, Ricardo Ventura

Comissão Científica e Coordenadora dos volumes: Adelino Almeida Calado, Aida Lemos, Alexandra Ribeiro, Ana Leal Faria, Annabela Rita, Carlos Fiolhais, Carlota Miranda, Décio Martins, Ernesto Rodrigues, Eugénia Magalhães, Fernanda Santos, Fernando Augusto Machado, Guilherme d’Oliveira Martins, Helena Carvalho, Joana Balsa de Pinho, João Francisco Marques , João Paulo Oliveira e Costa, João Relvão Caetano, João Rui Pita, José Augusto Cardoso Bernardes, José Carlos Miranda, José Carlos Seabra Pereira, José Eduardo Franco, José Pedro Paiva, Luís Machado de Abreu, Luís Pinheiro, Margarida Miranda, Mário Lopes da Silva, Marta Duarte, Martinho Soares, Micaela Ramon, Miguel Real, Orlando Gama, Paula Lago, Pedro Barbas Homem, Pedro Calafate, Pedro Caridade Freitas, Pedro Miranda, Pedro Silva Pereira, Porfírio Pinto, Ricardo Ventura, Rui Vieira Nery, Viriato Soromenho-Marques

 

ORGANIGRAMA INSTITUCIONAL

Instituições Promotoras: Universidade Aberta, Universidade de Coimbra

Instituições Científicas Coordenadoras: CIDH (Universidade Aberta/CLEPUL-Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), Centro Rómulo de Carvalho da Universidade de Coimbra, Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes

Instituições Científicas Associadas: Academia das Ciências de Lisboa, Academia Portuguesa da História, Biblioteca Nacional de Portugal, Centro de Estudos Bocagianos, Centro de Estudos Camonianos da Universidade de Coimbra, Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade do Minho, Centro de Estudos de História do Atlântico, Centro de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Centro de Física da Universidade de Coimbra, Centro de História de Além e Aquém Mar da Universidade Nova de Lisboa e da Universidade dos Açores, Centro Nacional de Cultura, Cruz Vermelha Portuguesa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Instituto de Estudos de Literatura e Tradição da Universidade Nova de Lisboa, Instituto da História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Instituto de História do Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, Instituto Politécnico de Bragança, Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa, Sociedade Portuguesa da Heráldica, Sociedade Portuguesa de Retórica, Universidade Católica Portuguesa – Centro Regional de Braga, Universidade da Madeira, Universidade de Aveiro, Universidade de Santiago de Compostela