Padre João Monteiro

P. IOAÕ MONTEIRO natural de Mezaõ frio do Bispado do Porto filho de Francisco de Almeyda, e Catherina Guedes igualmente nobres, e pios. Quando contava desaseis annos de idade abraçou o Sagrado Instituto da Companhia de Iesus em o Noviciado de Lisboa a 12 de Abril de 1620. Completo o tempo dos estudos escholasticos navegou para a India, e depois de ser Mestre dos Noviços em Goa dictou Filosofia, e Theologia em Macáo. Com o zelo da conversaõ da Gentilidade passou ao Imperio da China em o anno de 1636. onde para colher mais copioso fruto das suas apostolicas fadigas aprendeo a lingua daquelle paiz escrevendo para instruçaõ dos Neofitos.

Thien hi hò isto he Compendio da Ley Divina.

Pien Kingglo. Trata do verdadeiro, e falso culto.

Speculum illuminans tenebras. Consta de Deos, Alma, Verdadeira Religiaõ, e os quatro Novissimos.

Destas obras, e seu Author fazem mençaõ o P. Gabriel de Magalhaens Nouvel.  Relat. de la Chine. p. 101. Martim Mart. Relat. Chin. p. 37. §. 7. Cathal. Patrum S. I. qui post obitum S. Franc. Xav. ab anno 1581. usque ad 1681. in Imperio Sinarum I. C. fidem propagarunt pag. 27. §. 46. e Franco Imag. da Virtud. em o Nov. de Lisboa p. 969.

Falleceo piamente na China no anno de 1648. quando contava 44 annos de idade e 28 de Religioso.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

Padre Jerónimo Rodrigues

P. IERONIMO RODRIGUES natural da Villa de Monforte, ou de Montemór o novo situadas em a Provincia Transtagana. Sendo admitido à Companhia de IESUS partio para a India no anno de 1556. e depois de ser Vizitador das Provincias do Iapaõ, e China assistio em a Ilha de Tidor huma das Molucas pelos annos de 1579. onde obrou o seu apostolico espirito heroicas açoens em beneficio dos convertidos à verdadeira Religiaõ. Falleceo piamente em o Collegio de Macao quando exercitava o lugar de Reytor. Escreveo.

Carta escrita de Cochim aos Padres da Provincia de Portugal a 6 de Ianeiro de 1565.

Carta escrita de Cochim aos mesmos a 20 de Janeiro de 1566.

Carta geral escrita aos mesmos de Cochim 16 de Janeiro de 1568.

Carta Annua escrita ao Padre Geral de Cochim a 15 de Janeiro de 1570. He muito larga. Sahio com outras. Romae apud Haeredes Antonii Bladii. 1571. 8. e P. Emman. da Costa de rebus Indicis pag. 131. Coloniae apud Gervinum Calenium. 1574. 8.

Breve declaraçaõ da doutrina Christãa escrita na lingua Malaya. O Padre Francisco de Souza Oriente Conquist. P. 2. Conq. 3. Divis. 2. §. 15. escreve que foy grande o fruto, que resultou desta obra.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

Padre João Pereira

P. IOAÕ PEREYRA filho de Antonio Pereira de Elvas, e Appolonia da Sylveira naceo em a Cidade de Ponte Delgada Capital da Ilha de S. Miguel donde passando a Portugal recebeo a roupeta da Companhia de Iesus em o Noviciado de Coimbra a 23 de Dezembro de 1661. Tendo lido seis annos Humanidades foy Reytor dos Collegios de Braga, Elvas, e Santarem, e Coimbra; Secretario da Provincia de Portugal, e seu Vizitador Geral, e Provincial da Provincia do Brazil. Em tantos lugares sempre experimentáraõ os subditos os efeitos da sua prudente capacidade. Pregou com aplauzo derigindo os seus discursos mais para reprehender vicios, que lizongear viciosos. Sendo obrigado por preceito do Geral a aceitar a Propositura da Caza professa de S. Roque naõ chegou a exercitar este lugar mais, que mez, e meyo fallecendo a 23 de Abril de 1715. Delle se lembraõ Cordeiro Hist. Insulan. liv. 6. cap. 43. n. 437. Franco Imag. da Virt. em o Nov. de Coimb. Tom. 2. p. 620. et in Annal. S. J. in Lusit. pag. 452. n. 14. Publicou.

Exhortaçoens domesticas feitas nos Collegios, e Cazas da Companhia de Jesus de Portugal, e Brazil. Coimbra no Collegio das Artes. 1715 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

Padre Luís Cardoso

P. LUIZ CARDOSO natural do lugar de Pernes do Patriarchado de Lisboa filho de Antonio Cardozo, e Anna dos Reys e irmaõ do Padre Antonio dos Reys da Congregaçaõ do Oratorio (de quem se fez larga memoria em seu lugar) cujo instituto abraçou em Lisboa a 7. de Março de 1717. onde depois de estudar as sciencias severas se aplicou ao estudo da Historia Sagrada, e profana, pelo qual mereceo ser eleito Academico da Academia Real. Em obsequio da Patria emprendeo a grande obra do Diccionario Geografico de Portugal em que individualmente descreve todas as Cidades, Villas, Lugares Aldeas, Rios e Serras de que se compoem, de cuja laboriosa aplicaçaõ publicou o primeiro tomo com o titulo seguinte:

Diccionario Geografico, ou Noticia Historica de todas as Cidades, Villas, Lugares, e Aldeas, Rios, Ribeiras e Serras dos Reynos de Portugal, e Algarve com todas as couzas raras, que nelles se encontraõ assim antigas, como modernas. Tomo 1. Lisboa na Regia Officina Silviana, e da Academia Real 1747. fol.

Receita Universal, ou breve noticia dos Santos especiaes advogados contra os achaques, doenças, perigos, e infortunios a que ordinariamente vive sojeita a natureza humana. Tom. 1. Lisboa por Jozé Antonio da Silva 1727. 8.

Oraçaõ que recitou em 30. de Abril de 1736. quando foy admitido a Collega da Academia Real. Sahio na Collec. dos Docum. da Acad. Real. Lisboa pelo dito Impressor 1736. 4. grande.

Clavis concionatoria sive Index Expositorum in omnes Dominicas, ac Festa Sanctorum qui in nostrae Congregationis Ulyssiponensis Bibliotheca inveniuntur. fol. M. S. Existe na dita Livraria.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]

Padre Manuel de Pina

P. MANOEL DE PINA, filho de Joaõ de Pina, e Martha da Rosa, natural de Lisboa, onde recebeo a roupeta da Congregaçaõ do Oratorio de S. Filippe Neri a 19 de Março de 1674, e nella exercitou regidamente o seu instituto. Teve boa instruçaõ da Poezia, e de toda a erudiçaõ sagrada. Falleceo na patria a 15 de Setembro de 1732 . Compoz

Officium S. Philippi Nerii Confessoris Congregationis Oratorii Fundatoris. Duplex primae Classis cum Octavario desumpto ex Romano à sacra Rituum Congregatione approbato. Appositis simul praeviis Rubricis specialibus ad illud spectantibus. Missa quoque propria ipsius Sancti in fine adjecta. &c. Ulysipone apud Valentinum da Costa Deslandes Typ. Reg. 1706. 8.

No principio tem hum Hymno em louvor do Santo Patriarcha que começa. Salve Ductor Sanctitatis, &c. e hum Epigramma cujo principio he. Inclyta te genuit, &c. feitos pelo mesmo Author.

Concordantiae Breviarii Romani, seu ejusdem sententiarum omnium Index communi utilitati expositus, praecipue Parochis, Rectoribus, Missonariis, caeteris que Verbi Dei praeconibus. Estava prompto para a impressaõ.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]

Padre Manuel de Valadares

P. MANOEL DE VALLADARES; natural da Villa do Pombal do Bispado de Coimbra, Coadjutor espiritual da Companhia de Jesus, e operario Evangelico na India Oriental. Falleceo no Collegio de Cochim em o anno de 1598, com 64 annos de idade, e 45 de Companhia. Escreveo.

Carta escrita em Coulaõ em Janeiro de 1561 aos Padres do Collegio de S. Antaõ de Lisboa. Consta de 5. paginas.

Carta escrita da Ilha de S. Thomé a 21 de Dezembro de 1566 ao P. Provincial de Goa.

 

 [Bibliotheca Lusitana, vol. III]