Frei Manuel de Santo António

Fr. MANOEL DE S. ANTONIO Ulyssiponense filho de Vicente Rodrigues de Macedo, e Maria Carvalha, Erimita Augustiniano cujo instituto professou no Convento patrio a II. de Outubro de 1700. Para despertador de afectos piedosos na contemplaçaõ dos passos que Christo nosso Redemptor deu com a Cruz ás Costas, compoz.

Subida do Monte Calvario pela sagrada via dos sete Passos que em benefcio dos pecadores discorreo Jesus Christo abraçado com huma pezada Cruz. Lisboa na Officina da Musica. 1723. 24.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]

Frei Manuel de Santo António

Fr. MANOEL DE S. ANTONIO naceo em Lisboa a 22. de Janeiro de 1671. sendo filho de Antonio Nunes, e Domingas de Barros. Instruido nas letras humanas, e lingua Latina. Vestio a Monachal Cogulla do Principe dos Patriarchas S. Bento em o Convento da Vitoria da Cidade do Porto a 4. de Outubro de 1691. Quando contava 20. de idade. Nesta illustre e Virtuosa palestra aprendeo as sciencias severas com aplicaçaõ, que depois ensinou com aplauso até se laurear Doutor Theologo na Academia Conimbricense onde depois de regentar diversas Cadeiras subio á de Prima, conciliando repetidas aclamaçoens á sua profunda litteratura, e incansavel estudo. Foy Reytor do Collegio de Coimbra no anno de 1734., e de Lisboa em 1737. Falleceo no Collegio de Coimbra a 6. de Agosto de 1749. com 79. annos de idade e 59. de Monge. Para manifestar a vasta noticia que tinha da sua augusta Religiaõ, escreveo.

Pontifical Monastico da Congregaçaõ do Principe dos Patriarcas S. Bento deste Reyno de Portagal composto confórme o Cerimonial Cassinense, Privilegios Pontificios, e declaraçoens da sagrada Congregaçaõ dividido em tres Tratados. Em o primeiro se trata do que significaõ, e principio que tiveraõ as insignias, e Vestes Pontificaes, e Sacerdotaes. Em o 2. se trata de Cerimonias da Missa Pontifical, Vesperas, e de outros actos em que se uza das insignias Pontificaes. Em o terceiro se mostraõ os fundamentos que tem os Abbades desta Congregaçaõ para fazerem Pontificaes, e todos os mais actos com elles conexos, e se responde a todas as duvidas que em esta materia podem vir. Coimbra no Real Collegio das Artes da Companhia de Jesus 1730. 4. grande

Escudo Benedidino, ou Dissertaçaõ historica, escholastica, e Theologica em defensa dos injustos golpes da Crisis Doxologica Apologetica, juridica, que escreveo o Reverendo Padre Fr. Manoel Bautista de Castro filho da Sagrada Religiaõ Erimitica chamada de S. Jeronimo, e de dous Opusculos de Nottas em favor da mesma Crisis contra a Analyis Benedictina que impugnando a Crisis,  escreveo o Reverendo Padre Mestre Fr. Manoel dos Santos Monge Cisterciense. Salamanca em la Officina de la Viuda de Antonio Ortiz Gallardo 1736. fol.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]

Frei Manuel de Santo António

Fr. MANOEL DE SANTO ANTONIO natural da Villa de Castello de Vide situada na Provincia Transtagana Religioso da Sagrada Ordem de S. Joaõ de Deos, bom prégador. Publicou

Sermaõ da reedificaçaõ do Templo, e collocaçaõ de Christo Sacramentado prègado na renovada Igreja de que he Orago Nossa Senhora da Gloria da Ordem de S. Joaõ de Deos em a notavel Villa de Moura em 18. de Novembro de 1742. Lisboa por Miguel Manescal da Costa Impressor do Santo Officio. 1743. 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]

Frei Manuel de Santo António Doroteu

Fr. MANOEL DE SANTO ANTONIO DOROTHEO natural de Lisboa filho de Antonio Antunes, e Dorothea Baptista. Professou o austero instituto da Serafica Provincia da Arrabida no Convento de Santa Maria Magdalena da Villa de Alcobaça a 24. de Agosto de 1699. Dictou Filozofia, e Theologia, e exercitou os lugares de Definidor, e Guardiaõ de varios Conventos. Do genio, que teve para o pulpito que frequentou pelo espaço de muitos annos, publicou os seguintes argumentos.

Floresta Evangelica repartida em 15. Sermoens Panegyricos, e Moraes Tom.1. Lisboa na Officina Almeidiana. 1739. 4.

Tomo 2. ibi na dita Officina 1739. 4.

Tomo 3. ibi na Officina da Musica 1739. 4.

Tomo 4. repartido em 13. Sermoens moraes, e doutrinaes nas Tardes de Quaresma. ibi na dita Impressaõ 1741. 4.

Tomo 5. ibi por Antonio Pedrozo Galraõ. 1744. 4.

Tomo 6. ibi pelo dito Impressor. 1744. 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]

 

Manuel António Lobato de Castro

MANOEL ANTONIO LOBATO DE CASTRO Cidadaõ, e Vereador da Cidade do Porto filho de Manoel Affonso Lobato, e de sua mulher Maria Antonia da Paixaõ naceo na Villa de Barcellos do Arcebispo de Braga sendo taõ nobre por ascendencia, como erudito por aplicaçaõ com que cultivou as sciencias amenas, e severas. Metrificou na lingua Castelhana com suave elegancia. Falleceo na patria no mez de Agosto de 1721. quando contava 40. de idade. Compoz

Metrica descripcion en la entrada que hizo el Illustrissimo Señor D. Thomaz de Almeida en la Ciudad del Oporto. Coimbra 1707. 4

Vilhancicos, que se cantaraõ na Sè Cathedral do Porto em as Matinas, e Festa da gloriosa Virgem, e Martyr Santa Cecilia. Coimbra na Officina do Real Collegio das Artes da Companhia de Jesus 1712. 12.

Metrica Descripcion, y relacion verdadera del celeberrimo culto, y magnifico apparato con que la Soberana, augusta, y Serenissma Màgestad de nuestro Rey, y Señor D. Joan el V. solemnizò el dia de Corpus Christi en su Occidental Lisboa en 8. de Junio de 1719. Lisboa na Officina Ferrariense 1720. 4. Consta de 131. Outavas Castelhanas.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]

Manuel António de Meireles

MANOEL ANTONIO DE MEYRELLES naceo em Villa-Flor titulo do Condado em o Arcebispado de Braga a 14. de Agosto de 1715. onde teve por pays a Manoel Alvares do Couto, e Maria Meirelles. Aplicouse com disvelo ás disciplinas mathematicas em que mostrou tinha engenho para as comprehender, como capacidade para as ensinar. Passando ao Estado da India assistio com o posto de Capitaõ Engenheiro na Conquista das Praças de Alorna Bicholim, Avaro, Morly, Satarem, Tiracol, e Rary alcançada heroicamente pela valerosa actividade de D. Pedro de Almeida primeiro Marquez de Castello novo Vice-Rey do Estado cujas açoens illustres descreveo em proza, e verso e se publicaraõ com os seguintes titulos.

Relaçaõ da Conquista das Praças de Alorna, Bicholim, Alvaro, Morly, Satarem Tiracol, e Rary pelo Illustrissimo, e Excellentissimo Senhor D. Pedro Miguel de Almeida, e Portugal Marquez de Castello novo, Conde de Assumar do Conselho de Sua Magestade, e do de Guerra Vedor da Casa Real, Mestre de Campo General de seus exercitos, Director General da Cavallaria do Reyno, e Capitão General da India Parte. 1. e 2. Lisboa por Manoel Coelho Amado 1747. 4

Poema Heroico, ou Metricas Proezas de Marte executadas pelo Illustrissimo, e Excellentissimo Senhor Marquez de Castello novo, e Vice-Rey, e Capitaõ General do Estado da India na continuaçaõ da felicissima Conquista das terras de Bounsulo ate a Praça de Rary. Lisboa por Miguel Rodrigues 1747. 4. Consta de 178. Outavas.

Poema Heroico Marcio Historico da gloriosa, e inimitavel Vitoria que contra o inimigo Bounsuló alcançou o Illustrissimo, e Excellentissimo Senhor D. Pedro Miguel de Almeida, e Portugal Marquez de Castello novo, Vice-Rey, e Capitaõ General da India na Tomada de Alorna, Bicholim, e Sanquelim no anno de 1746.  Lisboa pelo dito Impressor 1747. 4. Consta de 146. Outavas.

Relaçaõ dos felices sucessos da India desde 20. de Dezembro de 1746. até 28. do dito de 1747. no governo do Illustrissimo Senhor D. Pedro Miguel de Almeida Portugal Marquez de Alorna, Vice-Rey, e Capitaõ General da India. Part. 3. Lisboa por Francisco Luiz Ameno 1748. 4. Com o afectado nome de Francisco de Barbuda Lobo publicou em Lisboa no anno de 1742. hum Prognostico intitulado.

Sarrabal Camponez.

Estrada para a gloria. M. S.

Thezouro Mathematico dividido em diversos Tomos. M. S.

Estas duas obras estaõ promptas para a impressaõ.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. III]