Padre Hipólito Moreira

P. HYPOLITO MOREYRA natural de Coimbra, e filho de Antonio Moreira, e Maria da Paz. Na florente idade de quinze annos recebeo a roupeta de Jesuita em o Noviciado de Lisboa a 6 de Julho de 1702. Aprendeo as letras humanas, e Sagradas em o Collegio de Coimbra onde foy Mestre da primeira classe das Humanidades de cuja disciplina sahiraõ Poetas elegantes, Oradores fecundos. Podendo illustrar com o seu agudo engenho, e sublime comprehensaõ as Cadeiras, se dedicou ao ministerio do pulpito no qual conciliou grande estimaçaõ nesta Corte affim pela delicadeza dos discursos, como pela viveza das açoens. Falleceo na Caza professa de S. Roque de Lisboa em o primeiro de Fevereiro de 1746. Quando contava 59. annos de idade, e 44. de Religiaõ. Das Declamaçoens Evangelicas, que recitou na prezença de gravissimos auditorios se fizeraõ publicas as seguintes.

Sermaõ do grande Patriarcha S. Caetano Fundador da Illustrissima, e Apostolica Religiaõ dos Venerandos PP. Clerigos Regulares da Divina Providencia. Lisboa por Jozeph Antonio da Sylva. 1728. 4. .

Sermaõ pregado no Real Convento de N. Senhora do Carmo de Lisboa aos 26 do mez de Setembro de 1727. na solemnidade em que o dito Convento celebrou a Canonisaçaõ de S. Joaõ da Cruz. Lisboa por Miguel Rodrigues. 1728. 4. & ibi por Jozeph Antonio da Sylva. 1729. 4.

Sermaõ do Nacimento de Maria Santissima Mãy de Deos pregado no Convento de Santa Martha de Lisboa a 8 de Setembro de 1732. professando no mesmo dia Sor Violante do Ceo. Lisboa por Jozeph Antonio da Sylva Impressor da Academia Real.1732. 4..

Oraçaõ funebre nas Exequias do Excellentissimo Senhor Conde da Calheta Affonso de Vasconcellos, e Souza celebradas na Real Igreja de N. Senhora da Conceiçaõ dos Freyres da Ordem de Christo no dia 25 de Fevereiro de 1734. Lisboa pelo dito Impressor 1734. 4.

Sermaõ da Profissaõ da Madre Soror Joaquina Egidia Benta da Natividade pregado no Convento de Santa Martha a 17 de Setembro de 1739. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca.1740. 4.

Sermaõ da Profissaõ das Madres Soror Catherina Joaquina, Soror Antonia Rita, Soror Thereza Getrudes filhas do Capitaõ Jozeph Carvalho de Oliveira pregado no Convento das Trinas Descalças desta Corte em 24 de Junho de 1742. dia do nacimento de S. Joaõ Baptista. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca. 1742. 4.

Com as letras iniciaes do seu nome sahiraõ dous Epigrammas Latinos nas Ultimas Açoens do Duque do Cadaval D. Nuno Alvares Pereira de Mello. Lisboa na Officina da Musica 1730. fol. o primeiro Epigramma serve de Epigrafe ao Retrato do Duque aberto em huma grande lamina; o segundo está a pag. 313. sendo o assumpto delle Cùm in Templo D. Justae celebrarentur exequiae Serenissimi Ducis do Cadaval festiva Cymbalorum pulsatio perpetuò insonuit. Consta de 10. Dystichos.

Sem o seu nome sahiraõ as obras seguintes.

Culto, e veneraçaõ do Sacrosanto Coraçaõ de JESU Christo. Lisboa 1731. 8.

Devoçaõ, e culto do sacrosanto coraçaõ di Maria Santissima. Lisboa 1731. 8.

Novena do Glorioso S. Roque advogado contra a peste, ou outro qualquer mal Epidemico, e contagioso, especialmente de bexigas. Lisboa por Jozeph Antonio da Sylva. 1734. 24.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

D. Hipólito de São Lourenço

D. HYPOLITO DE S. LOURENÇO naceo em Algodres lugar humilde da Provincia da Beyra sendo sobrinho do Veneravel Padre Ignacio Martins da Companhia de JESUS author do Cathecismo para instruçaõ da puericia, e de D. Manoel de Gouvea Bispo de Angra. Recebeo o habito Canonico Augustiniano em o Real Convento de Santa Cruz de Coimbra a 9 de Agosto de 1596. onde fazendo insignes progressos nas sciencias, foraõ mayores em as virtudes. Era na Oraçaõ fervoroso, no Coro continuo, em o jejum austero. Naõ ocupou na Religiaõ outro lugar mais, que o de Mestre de Noviços devendo-se à sua vigilante cultura o virtuoso fructo, que aquellas novas plantas deraõ para beneficio da Ordem Canonica. Vinte annos antes da sua morte passou privado da vista, cuja sensivel molestia tolerou como outro Tobias com raro exemplo de constancia. Cheyo de heroicas virtudes, e fortalecido com as armas dos Sacramentos se preparou para o ultimo conflito, que o transferio para o descanso eterno a 30 de Mayo de 1659. Com 80 annos de idade. Compoz.

Varios Tratados espirituaes com alguns Officios, e Hymnos de Santos. Posto se naõ imprimiraõ muitos religiosos usavaõ delle como escreveo o Licenciado Jorge Cardozo Agiol. Lusit. Tom. 3. pag. 463. fallando de seu Author, e pag. 469. No Comment. de 30 de Mayo letr. O.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

D. Frei Hilário de Santa Rosa

D. Fr. HILARIO DE SANTA ROSA naceo em Lisboa a 12. de Fevereiro de 1695. sendo filho de Crispim da Sylva, e Maria Josefa. Na florente idade de vinte, e quatro annos abraçou o austero instituto da Serafica Provincia da Arrabida a 15 de Outubro de 1719. onde depois de ter dictado Theologia Moral em o Convento de Leyria de cujo Bispado foy Examinador Synodal, leu a mesma Faculdade dous annos, e Filosofia tres em o Real Convento de Mafra. Ao tempo, que era Consultor da Bulla da Cruzada, e Guardiaõ do Convento de S. Jozé de Ribamar foy nomeado Bispo de Macao a 2. de Fevereiro de 1739. em cuja dignidade o sagrou em a Santa Basilica Patriarchal o Eminentissimo Cardial D. Thomaz de Almeida primeiro Patriarcha de Lisboa a 5 de Março de 1741. e a 14 do dito mez do anno seguinte partio para o seu Bispado onde felismente chegou a 5. de Outubro de 1742. Dos muitos Sermoens, que pregou com universal aplauzo, se fez unicamente publico pelo beneficio da impressaõ o seguinte.

Sermaõ da segunda Dominga da Quaresma de tarde em 22 de Fevereiro de 1739. pregado na Parochial de S. Nicolao. Lisboa por Antonio Isidoro da Fonceca. 1739. 4.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

Hilário de Oliveira Tavares

HILARIO DE OLIVEYRA TAVARES natural de Lisboa filho de Alexandre de Oliveira, e criado do Serenissimo Senhor Infante D. Manoel. Para testemunhar a sua ardente devoçaõ com que venerava a S. Braz Bispo de Sebaste compoz.

Novena do glorioso Martyr S. Braz Bispo de Sebaste Protector da Armenia, Advogado da garganta repartida pelas suas excellentes virtudes, e nove obequios para cada hum dos dias da Novena. Lisboa por Miguel Rodriguez. 1731. 12.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

Hilário Moreira

HILARIO MOREYRA natural da Cidade de Coimbra em cuja Universidade foy insigne Professor de Filofosia, e naõ menor Orador Latino como o manifesta a obra seguinte.

Oratio de Omnium Philosophiae partium laudibus, & studiis ad invictissimum Lusitaniae Regem D. Joannem Tertium apud ineclytum Conimbricense Lycaeum de more Academiae habita Kalend. 1552. Conimbricae apud Joannem Barreira, & Joannem Alvares 1552. 2.

Do Author, e da obra fazem meçaõ Nic. Ant. Bib. Hisp. Tom. 1. p. 463. col. 2. Lipenio Bib. Real Philosof. Tom. 2. pag. 1128. Maris Dial. de Var. Hist. Dial. 5. fol. mihi 515. v.° à margem.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

Fre Hilário da Lourinhã

Fr. HILARIO DA LOURINHAA natural da Villa do seu appellido pertencente ao Patriarchado de Lisboa. Professou o instituto monachal da Familia Cisterciense em o Real Convento de Alcobaça, e nesta virtuoza palestra se exercitou em todos os actos de hum perfeito Monge. Escreveo.

Vida do Infante Jozaphà: de Santa Eufrozina: de Santa Maria Egypciaca: de Santa Paula. Morte de S. Jeronimo. Contemplaçoens de S. Bernardo. Vida de Santo Amaro: do Cavalleiro Tungula que foy ao Purgatorio, Inferno, e Paraizo. Conservaõ-se todas estas obras em hum volume de folha M. S. na Bibliotheca do Real Convento de Alcobaça.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]