António Henriques Gomes

ANTONIO HENRIQUES GOMES. Posto que nascido em Portugal nos fins do seculo XVI, ou nos primeiros annos do immediato, foi educado em Castella, e passou a maior parte de sua vida em França, onde foi bem aceito ao rei Luis XIII, que o nomeou Cavalleiro da Ordem de S. Miguel, e o fez seu Conselheiro e Mordomo ordinario. Apesar de tudo isto, Henriques Gomes era judeu, e se cahisse em vir a Portugal é de suppor que teria o mesmo desastrado fim que aqui encontrou o seu contemporaneo, amigo e correligionario Manuel Fernandes Villa Real.

Entre as numerosas obras que compoz e imprimiu, todas em hespanhol, e cujos titulos podem ler‑se na Bibl. Lusit., ha um pequeno opusculo em verso, que a julgarmos pelas indicações dadas por Barbosa, parece escripto em portuguez. Seu titulo é:

761) Triumpho Lusitano, no qual se contém a feliz acclamação d’Elrei D. João o IV, e a embaixada que Francisco de Mello, Monteiro‑mór do Reino, e o Doutor Antonio Coelho de Carvalho, fizeram por seu mandado á Magestade Christianissima de Luis XIII Rei de França. Paris 1641. 4.º – Sem o nome do auctor.

N’esta incerteza, acabo de examinar por mercê do meu amigo o sr. Moreira um folheto, que elle possue, e do qual nunca vi outro exemplar. Estou persuadido de que este opusculo de 30 pag. em 4.º, sem folha do rosto, e sem designação de logar e anno da impressão, nem do nome do auctor, é o proprio mencionado por Barbosa; mas se o é, vê‑se que houve equivocação em julgal‑o portuguez, pois é todo escripto em versos castelhanos, e o seu titulo posto no alto da pagina primeira diz assim: Triumpho Lusitano, recibimiento que mando hazer Su Magestad el Christianissimo Rey de Francia Luis XIII a los Embaxadores extraordinarios que S. M. el Serenissimo Rey Don Juan el IV de Portugal le embió, ano de 1641.

Das outras obras alludidas, gosam ainda de alguma estimação as seguintes:

762) Academias morales de las Musas. Bourdeaux, por Pedro de la Court 1642. 4.º – Madrid, por Joseph Fernandes de Buendia 1660. 4.º – Ibi, pelo mesmo 1668. 4.o de XII‑460 pag. D’esta, que se declara ser quarta edição, possuo um exemplar. No Catalogo de livros hespanhoes que se vendem na loja da Viuva Bertrand e Filhos 1852, anda esta obra cotada em 1:200 réis.

É toda escripta em versos de differentes generos e medidas, contendo romances, elegias, eclogas, sonetos, canções, cartas etc. – Divide‑se em quatro Academias, e no fim de cada uma d’estas vem uma Comedia.

763) Sanson Nazareno. Poema Heroico. Ruan, por Lourenço Maurry 1656. 4.º gr. de XII‑338 pag. Em quatorze cantos de outava rima, com outras tantas estampas gravadas a buril. Acha‑se tambem no referido catalogo cotado em 600 réis; e tanto me custou o exemplar que d’elle tenho.

D. Francisco Manuel de Mello censura asperamente o gosto e estylo d’este auctor; como se vê nos Apologos Dialogaes pag. 419 e 443.

 

[Diccionario bibliographico portuguez, tomo 1]

Padre Gaspar Luís

P. GASPAR LUIZ natural da Villa de Portel na Provincia do Alentejo. Foy admetido à Companhia de Jesus no Collegio de Evora a 15 de Mayo de 1602. Depois de ter ensinado Rhetorica nos Collegios de Lisboa, Evora se embarcou para a India com o Padre Gabriel de Mattos no anno de 1618. donde navegou para o Iapaõ, cuja dilatada, e inculta vinha cultivou por muitos annos, sendo Presidente da Congregaçaõ, que se celebrou nesta Provincia, em o anno de 1638. Falleceo em Goa, de cujos apostolicos ministerios se lembraõ Faria Asia Portug. Tom. 3. Part. 2. cap. 8. n. 21. Bib. Societ. p. 279. col. 1. Joan. Soar. de Brit. Theatr. Lusit. Litter. liter. G. n. 23. Franco Imag. da virt. em o Nov. de Evor. pag. 867. Escreveo.

Relaçaõ do Iapaõ do anno de 1619. escrita em Macao ao primeiro de  Outubro de 1620. Sahio traduzida na lingua Italiana. Roma perl’ heredi di Bartholameu Zanetti. 1624.8.

Carta Annua escrita do Goa em o primeiro de Fevereiro de 1619. E 1620. ao Padre Geral Mucio Vitalleschi. Sahio com outras em Italiano: Neapoli por Lazaro Scoriggio. 1621. 8. desde pag. 94. até 137.

Relaçaõ da Missaõ da Conchinchina escrita de Macao a 17 de Dezembro de 1621. Sahio em Italiano com outras. Roma por Francisco Corbelletti 1627. 8.

desde pag. 97. até 118. e na lingua Franceza. Pariz chez Sebastien Cramoisy 1628. desde pag. 122. até 148.

 

[Bibliotheca Lusitana, vol. II]

Prémio Literário Joaquim Mestre – Romance

Instituído pela ASSESTA – Associação de Escritores do Alentejo, em parceria com a Direção Regional de Cultura do Alentejo, com apoio do Município de Beja, destina-se a premiar obras de ficção, na modalidade de romance, sendo privilegiadas as temáticas diretamente relacionadas com a região Alentejo. Podem participar autores de nacionalidade portuguesa e autores estrangeiros a residir em Portugal, com mais de 18 anos. Entrega dos originais até dia 31 de outubro de 2019.

Podem participar autores de nacionalidade portuguesa e autores estrangeiros a residir em Portugal, com mais de 18 anos.

Cada participante poderá apresentar uma única obra a concurso.

As obras apresentadas devem ser originais e escritas em língua portuguesa, em folhas de formato A4, numeradas, com dimensão de margens standard (2,5 cm superior e inferior; 3 cm esquerda e direita), no tipo de letra Arial, tamanho 11, espaço e meio entre linhas, e devem ter no mínimo 150 páginas e no máximo 200 páginas.

As obras apresentadas devem ter título e devem ser assinadas com pseudónimo.

As obras deverão ser entregues em envelope fechado, sendo que no exterior do mesmo deverá constar a referência “Prémio Literário Joaquim Mestre – ASSESTA – Associação de Escritores do Alentejo”.

No interior do envelope deve ser colocado um outro envelope, fechado e lacrado, contendo a identificação do autor, morada completa, data de nascimento, número de identificação (cartão de cidadão ou equivalente), telefone/telemóvel, correio eletrónico e uma declaração de honra como o original a concurso não é, em simultâneo, candidato a outro prémio literário durante o período em que decorre a 2ª edição do Prémio Literário Joaquim Mestre.

De cada obra a concurso, deverão ser entregues três exemplares devidamente encadernados.

As obras podem ser entregues em mão na Biblioteca Municipal de Beja / José Saramago, rua Luís de Camões, s/n, 7800-508 Beja, ou enviadas por correio para a morada referida, contando para efeitos de validação de prazo, a data de registo dos correios.

Regulamento da 2ª edição do Prémio Literário Joaquim Mestre.docx

Prémio Literário Luís Miguel Rocha – Romance

Numa parceria entre a Câmara Municipal de Viana do Castelo e a Porto Editora, destina-se a obras originais de escritores de língua portuguesa na área do romance, que não tenha sido premiada em outro concurso. O prazo das obras a concurso termina no dia 1 de outubro de 2019.

O concurso tem um prémio monetário de 6.000 euros e as obras deverão ser apresentadas com o pseudónimo do autor na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, após consulta do regulamento disponível no site da Câmara Municipal.

Regulamento.

Prémio Lucíio Valdez – Dramaturgia

PRÉMIO LUCILO VALDEZ – DRAMATURGIA
Instituído pela C. M. de Viana do Castelo, é concedido bienalmente e destina-se a galardoar um autor de nacionalidade portuguesa, da melhor obra na vertente do texto de dramaturgia. A decorrer até 1 de setembro.

O Prémio é concedido bienalmente e destina-se a galardoar um autor de nacionalidade portuguesa, da melhor obra na vertente do texto de dramaturgia, visando estimular a criação literária e o aparecimento de novos autores, assim como reforçar a arte cénica e promover o gosto pela fruição e prática artística na área do teatro.

Ao autor da obra premiada será atribuído o prémio pecuniário e a obra será encenada e apresentada no Teatro Municipal Sá de Miranda candidatura por um encenador e companhia de teatro a designar pela entidade organizadora. Os textos concorrentes originais deverão possuir extensão que permita um espetáculo com uma duração mínima de 50 minutos e máxima de 90 minutos e ter em conta a viabilidade de produção do espetáculo.