Romance sobre a culpa

“Afonso Cruz acaba de publicar dois livros, um novo volume da Enciclopédia da Estória Universal. Mil Anos de Esquecimento, que, devido à sua complexidade, recensearemos mais tarde, e o romance Nem Todas as Baleias Voam. Não se pode dizer que haja novidade no conteúdo dos dois livros.”

Por: Miguel Real (mais…)

Notas sobre Camilo Pessanha

“Entre os ilustres nascidos em 1867 – Raul Brandão, António Nobre, Carlos de Lemos –, Camilo Pessanha sofre de ser conhecido só como poeta, quando se completa em crónicas da alta coimbrã desde 1889, em contos e oito elegias traduzidas do chinês.”

Por: Ernesto Rodrigues (mais…)

Viver por engano

“Camilo Pessanha terá escrito pouco (ou chegou-nos pouco do que terá escrito), mas continua tão vivo, cada vez mais vivo.”

Por: Fernando Pinto do Amaral (mais…)

Viver segundo Patrícia Portela

“Está dado o mote da novela ou conjunto de contos unificados por esta ideia paradoxal: é o acaso, a contingência, que comanda a vida, não o determinismo, a necessidade, não o constrangimento das instituições sociais, menos a coação do dever moral”

Por: Miguel Real (mais…)

Um perfil de Miguel Torga

“Em cada momento, frase ou debate consigo mesmo, o artista recomeça, e essa procura insatisfeita do poeta e viajante lê-se, sobretudo, na demanda por um verso ou no confronto com a situação pessoal e da pátria em quase 70 anos de vida literária. Como bom ibérico, esta vida é tomada, mais do que sonho, por ilusão; mas é acrescentando humanidade à ilusão que temos a sensação (muitos, a certeza) de viver a vida possível, ou única, que só uma interioridade conhece. Ainda homem do interior do país, é, todavia, dos que mais viajaram, cá e lá fora.”

Por: Ernesto Rodrigues (mais…)